OCM actua sexta-feira, dia 19, na igreja de São Sebastião de Câmara de Lobos

O reportório barroco é o foco do próximo concerto da Orquestra Clássica da Madeira. Bach, Vivaldi e Corelli são os compositores cujas obras serão interpretadas pela OCM, num concerto na sexta-feira, na igreja matriz de Câmara de Lobos, com a flautista Ana Rita Oliveira e o bandolinista Norberto Cruz como solistas. O director artístico da Orquestra, o violinista Norberto Gomes, irá dirigir este concerto.

“Ana Rita Oliveira, flautista com uma sonoridade generosa e técnica brilhante interpretará a Suite Orquestral nº2 de J. S. Bach, onde consta o famoso andamento final Badinerie. Norberto Cruz, com o seu virtuosismo  interpretará, do italiano Antonio Vivaldi, dois concertos para bandolim e orquestra. Do programa constam ainda o Concerto Grosso em Ré maior de Arcangelo Corelli e a Ária da suite em Ré de J. S. Bach”, informa a OCM.

O concerto conta ainda com a participação especial de Rui Pinheiro, no cravo.

O programa específico é o seguinte:

Arcangelo Corelli (1653 – 1713)  – Concerto Grosso em Ré maior Op.6 No.4

António Vivaldi (1678-1741)  – Concerto para bandolim, violinos e baixo contínuo em Dó Maior, RV 425

Johannes Sebastian Bach (1685-1750)  – Ária da Suite em Ré

António Vivaldi (1678-1741)  – Concerto para bandolim, violinos e baixo

Johannes Sebastian Bach (1685 – 1750) – Suite orquestral nº 2 in D menor BWV 1067

Norberto Gomes

O violinista madeirense Norberto Gomes, iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música da Madeira, com sua irmã Zita Gomes, sendo suportado com uma bolsa de estudos da Fundação Calouste Gulbenkian. Foi galardoado com vários prémios nacionais, sendo de destacar o 1º Prémio Nível Superior – Solista no Concurso Músicos RDP e prémio medalha “Mérito Artístico” atribuído pelo Governo Regional da Madeira. Em 1989 inicia um longo período de formação na Ex-URSS, sendo fortemente subsidiado pelo Governo Regional da Madeira, onde teve oportunidade de estudar com vários pedagogos de mérito reconhecido, com destaque do distinto violinista, crítico musical e pedagogo A. N. Gorochov. Norberto Gomes tem-se destacado no campo da pedagogia onde com os seus alunos tem granjeado vários prémios em concursos nacionais para jovens violinistas. É Concertino e Diretor Artístico da Orquestra Clássica da Madeira. Norberto Gomes, detentor de vários graus académicos, é professor no Conservatório – Escola profissional das Artes da Madeira, onde é também Assessor Artístico da Direção.

Solista na flauta, Ana Rita Oliveira

Aluna de Ana Maria Ribeiro, é vencedora de mais de uma dezena de concursos nacionais e internacionais, de entre os quais destacando-se o Concurso Nacional Paços Premium, categoria Júnior e Sénior, Concurso Internacional Terras de La Salette, categoria Júnior e Sénior, e o Concurso Intenacional Sta Cecília – Prémio BPI – Prémio Ernestina Silva Monteiro.

Com apenas 18 anos obteve o 3º Prémio no Concurso Internacional de Interpretação do Estoril.

Como membro fundador do IncertusTrio obteve o 1º Prémio no Concurso Internacional de Música de Câmara Cidade de Alcobaça.

Recentemente foi semi-finalista do Concurso Internacional Crusell, na Finlândia.

Foi Artista Convidada no I Encontro Luso-Brasileiro de Flautas, Semana Cultural do

CMACG, Festivel de Saint Mesnil des Arts e Festival Cistermúsica.

Em orquestra colaborou com a Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Orquestra Filarmonia das Beiras, Philharmonisches Orchester Freiburg e Gustav Mahler Jugendorchester.

Apresentou-se a solo com a Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra Clássica do Conservatório de Música de Aveiro e Banda Sinfónica do Conservatório de Música de Aveiro.

Na temporada de 2016/17 foi bolseira da Fundação Helene-Resenberg e estagiária na Philharmonisches Orchester Freiburg.

Assume desde 2017 o lugar de Flauta Solo com a Orquestra Clássica da Madeira.

Solista no bandolim, Norberto Cruz

Norberto Gonçalves Da Cruz, concertista afirmado e reconhecido no bandolim internacional, se apresentou como solista em Portugal, Itália, Estónia, Bulgária, Espanha, Brasil, Áustria, onde colaborou com importantes entes como, o Teatro alla Scala, em Milão, o Teatro Fenice em Veneza e Orquestra “Roma Sinfonietta” de Roma. Exibiu-se sob a direção de prestigiosos maestros como Mstislav Rostropovich e Riccardo Muti e ao lado de músicos de renome internacional, tais como Andrea Bocelli, Noa, Placido Domingo e Júlio Pereira. É um dos fundadores, juntamente com Emanuele e Buzi Valdimiro Buzi, o “Quinteto a Plettro Giuseppe Anedda”, recebendo em 2012 a Medalha de Representação do Presidente da República italiana. É considerado entre o bandolinistas portugueses de maior prestígio recebendo sempre recebendo grande aclamação de público e crítica. Formou-se com menção honrosa no Conservatório Superior “Alfredo Casella” de L’Aquila, sob a orientação de uma das mais prestigiosas bandolinistas do mundo, Dorina Frati. Atualmente é professor de bandolim no Conservatório Escola Das Artes da Madeira.