Doentes não urgentes do SESARAM podem recorrer aos taxistas a partir do dia 15 de janeiro

Protocolo assinado hoje. Foto Governo Regional.

Os utentes não urgentes do SESARAM, com insuficiência económica comprovada, passam a dispor, a partir do dia 15 de janeiro, do serviço dos taxistas associados da AITRAM, no transporte para consultas, exames ou outros cuidados de saúde.

Para tal, o médico assistente terá de informar o SESARAM com 48 horas de antecedência.

O SESARAM e a AITRAM (Associação de Industriais de Táxi da Região) recuperaram o protocolo que tinha sido extinto em 2009.

Com esta medida, e como explicou o Presidente do Governo Regional, o executivo “vai poupar 100 mil euros no transporte de doentes, já este ano”. Para além disso, é garantido que o doente tenha “um melhor acesso às consultas e cuidados de saúde” e um valor acrescentado para o taxista que prestar o serviço.

Miguel Albuquerque recordou ainda que no ano passado, foram transportados 134 mil utentes não urgentes, mais 8.109 do que no ano anterior.