Cuidados a ter no inverno com o seu gato

O inverno é uma época do ano que tem amantes, pois com ele vem a neve e a possibilidade de esquiarem, mas quando se trata do animal de estimação, o frio pode trazer alguns inconvenientes. A primeira coisa que é colocada em risco é a sua saúde, uma vez que o frio intenso não é o melhor amigo dos gatos. Assim, se seu gato tiver acesso ao exterior, deve evitar mudanças bruscas de temperatura. Isto também se aplica aos exemplares que gostam de se proteger debaixo de mantas, uma vez que ao saírem sentem uma mudança brusca de temperatura.

Se o seu gato tiver uma constipação, o que é fácil de detectar pelos sintomas (espirros, corrimento nasal, olhos lacrimejantes e apatia), deverá levá-lo ao veterinário para determinar se necessita ou não de tratamento. Este ato é muito importante, porque uma simples constipação pode agravar-se. Embora todos os gatos se ressintam na chegada do frio, existem vários grupos da população felina que são mais sensíveis a ele: os gatinhos, porque o seu sistema imunitário ainda é frágil; os gatos com idade superior a 7 anos, porque têm as defesas mais diminuídas e poderão apresentar alguma doença articular; os gatos cuja pelagem não lhes proporciona abrigo suficiente; e indivíduos doentes, sejam eles jovens, adultos ou seniores. Embora não seja habitual, o gato pode sofrer de hipotermia, caso não consiga abrigar-se do frio intenso. Se isso acontecer, a primeira coisa a fazer é abrigá-lo, fornecer-lhe uma fonte de calor adicional (sacos de água quente) e esfregar-lhe o corpo vigorosamente. Obviamente, deverá levá-lo ao veterinário o mais depressa possível. Por outro lado, o Natal, que está prestes a chegar, é uma época festiva para nós, mas produz imenso stress no gato: visitas, em alguns casos numerosas, que riem e cantam sem parar. Se vai festejar em casa, o melhor é disponibilizar ao seu gato um lugar onde ele possa sentir-se calmo e onde ninguém o incomode. Antes da chegada do frio é muito importante que as suas vacinas estejam em dia e deve dar-se continuidade à sua desparasitação periódica. Em caso de dúvida, consulte o seu veterinário.

O Natal é uma época de excessos gastronómicos, mas não devemos partilhá-los com o nosso gato. Ele deve continuar a alimentar-se como habitualmente, no horário de sempre, sem receber qualquer extra, muito menos se se tratar de doces.  Se o seu gato é daqueles que rouba comida nesta altura do ano, em que existem tantos alimentos nocivos para ele em casa, o melhor é redobrar os cuidados e não permitir que ele tenha acesso aos mesmos. Possivelmente já ouviu dizer que durante o inverno o gato gasta mais energia para manter a temperatura corporal e, portanto, necessita de aumentar a sua ração diária. Isto só é verdade para os gatos que vivem no exterior durante todo o dia, mas não para aqueles que estão dentro de casa a maior parte do tempo. Portanto, o nosso gato deve continuar com a sua dieta normal, a menos que o veterinário nos indique o contrário. Lembre-se, se o gato tiver uma dieta hipercalórica durante estas datas poderá aumentar o seu peso, o que implicará fazer dieta mais tarde. Não se esqueça da máxima, mais vale prevenir do que remediar!