Média de 66% na greve dos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica, diz o SESARAM

URGENCIAS HOSPITAL NELIO MENDONCA
Greve dos técnicos de Diagnóstico e Terapêutica andou pelos 66% na Madeira.

Uma média de 66% na greve dos Técnicos Superiores das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica foi registada pelo SESARAM no primeiro dia de uma paralisação que decorrerá em todo o território português, com início no dia 2 de novembro de 2017 e término indefinido.

Os números dados a conhecer pelo Serviço Regional de Saúde apontam para o turno da manhã com 61%, dos 169 técnicos previstos, 103 aderiram à greve, e o turno da tarde: 71%, dos 99 técnicos previstos, 70 aderiram à greve.

Uma nota do SESARAM refere que de forma a minimizar os efeitos causados pela greve, “os utentes que necessitam de cuidados prestados por esta classe profissional, devem contactar previamente os serviços mencionados de modo a avaliar as condições da viabilidade do atendimento. Importa salientar que todas as situações urgentes estão a ser atendidas e os serviços mínimos salvaguardados”.

Mais de mil manifestantes aprovaram, esta tarde, um “MANIFESTO” pelas carreiras, pelos doentes e pelo Serviço Nacional de Saúde. Esse manifesto foi posteriormente entregue no Ministério da Saúde – frente ao qual os Técnicos Superiores das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica se manifestaram – e à Comunicação Social. No documento são denunciadas as iniquidades que se abateram sobre os TSDTs, os nossos serviços e os nossos doentes