CDS ‘fura’ AD e prefere Confiança a PSD para a Assembleia de Freguesia de Santo António

Decididamente não houve Aliança Democrática (AD) em Santo António. Os dois votos do CDS juntaram-se (presumivelmente porque o voto é secreto) aos 7 da coligação Confiança e a um voto da CDU e o candidato vencido da Confiança, Gonçalo Jardim foi eleito presidente da Assembleia de Freguesia.

Resultado, 9 votos para a lista do PSD, 10 votos para a lista da Confiança.

Contactado pelo Funchal Notícias, o presidente da concelhia do CDS do Funchal, Nelson Costa Ferreira, também ele cabeça-de-lista nas últimas Autárquicas por Santo António, nega a ideia de que o partido tenha quebrado qualquer acordo.

Nelson Costa Ferreira assegurou que os dois eleitos do CDS em Santo António limitaram-se a seguir a única orientação política que conhecem. A saber, a que ficou vertida na alínea f) da ata da última reunião da concelhia do Funchal, segundo a qual os eleitos localmente votariam de acordo com o que fosse melhor para essas comunidades locais.

Antecipando possíveis críticas relativamente a quebras de compromissos, Nelson Costa Ferreira disse desconhecer quaisquer outras orientações que não apenas as emanadas pela concelhia do Funchal.

“Se houve acordos desconheço em que termos foram feitos e por quem. Só conheço uma orientação, a que veio da reunião da concelhia do CDS do Funchal. Que eu saiba não houve comissão política, conselho regional ou congresso [do CDS] de onde pudessem vir essas orientações impostas verticalmente”, disse.