Amanhã Funchal verá a sua primeira parada gay, seguida de arraial e after-party

Promovido pela “rede ex aequo – associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, trans, intersexo e apoiantes”, em parceria com a Associação Abraço, a APF – Associação para o Planeamento da Família, a Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida” e o grupo Mad le’s Femme, o evento Funchal Pride, já anteriormente anunciado, pretende trazer à visibilidade as pessoas LGBTI e incentivar os apoiantes a lutarem também contra a homofobia, bifobia e transfobia, refere um comunicado de imprensa.
O objectivo primordial da iniciativa da organização é a de “lançar a pedra no charco” em relação a estes assuntos, trazendo as pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo para a visibilidade e para o uso seguro do espaço público, sem medo de expressarem a sua orientação sexual ou identidade de género. Na RAM, a discriminação, o bullying homofóbico e transfóbico e os crimes de ódio acontecem, com relatos e denúncias reais de discriminação em ambiente escolar e em estabelecimentos de diversão nocturna, revelam.
Integrado no Funchal Pride, evento que conta com o apoio da Câmara Municipal do Funchal e do projecto de investigação INTIMATE, sediado no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, estão várias iniciativas. O seminário é realizado um dia antes das grandes iniciativas, fomentando o debate sobre diversidade sexual, de género e relacional pela investigadora Ana Cristina Santos, do projecto INTIMATE.
Amanhã, acontecem as grandes iniciativas do evento. Às 15 horas, toda a população está convocada a juntar-se à 1.ª Marcha do Orgulho LGBTI+ do Funchal, uma manifestação pacífica para a reivindicação dos direitos da população LGBTI+ nas principais artérias da cidade, prossegue a nota de imprensa. Além das associações organizadoras, marcharão também a UMAR – União Alternativa de Mulheres e Resposta, a Opus Gay, vindos de Lisboa, e o NAIF – Núcleo da Amnistia Internacional do Funchal. O ponto de encontro é na Praça do Município, com termo da marcha no auditório do Jardim Municipal do Funchal.
É no auditório do Jardim Municipal que acontecerá o arraial Pride Funchal. Inicialmente dirigido para os discursos após Marcha, com discursos da rede ex aequo, Associação Abraço, APF, FPCCSida, Mad le’s Femme e, ainda, da Dr.ª Mariana Bettencourt – directora do Serviço de Igualdade de Género da Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais.
Após os discursos, viver na diversidade é símbolo de celebração e diversão. Haverá música com Alexandra Barbosa e Noun, folclore com o Grupo de Folclore da Casa do Povo de Gaula, transformismo com a drag queen Alecia Fluffy, stand up comedy com Nuno Morna, e música para dançar com Michael Yang, convidado do bar oficial do evento, o Living Room.