Savoy e a Rua do Favila: trabalhos não esmorecem

Rui Marote
Com o embargo a decorrer na rua da Imperatriz D. Amélia, as obras do Savoy não abrandam. O gigantesco edifício  atingiu a sua plenitude consoante o plano traçado, cumprindo o projecto aprovado pelo Município dentro das regras em vigor do plano director.
O Funchal Noticias já tinha anunciado as obras de remodelação da Rua do Favila e da Praça do Turista.
Em tempo recorde, a nova artéria já está concluída, com calçada portuguesa em toda a sua extensão, beneficiando os comerciantes e o edifício do boulevard. Quanto à Praça do Turista, está para breve a sua conclusão, e nos jardim em redor do monumento, a relva cresce enquanto os calceteiros dão vida à área envolvida em toda a praça.
O edifício do Santa Isabel, que já deveria estar demolido, continua de pé, até que a Câmara levante o embargo da Imperatriz D. Amélia, passando os serviços que funcionam no velho hotel para as novas instalações que estavam praticamente concluídas.
Até lá a “locomotiva”  de Avelino Farinha avança noutras áreas: transplante de árvores na frente da Avenida do Infante e galvanização dos andares.

Enganaram-se aqueles que pensavam travar o andamento das “carruagens”, porque o trabalho é para efectuar. Há muito por fazer e o empresário está apostado em concluir a obra no prazo previsto ou até antes.