Veja 10 fotos do desembarque de Cristóvão Colombo no Porto Santo

Fotos DR

Cristóvão Colombo chegou ontem ao Porto Santo, sob o olhar atento e entusiasmado de centenas de pessoas, residentes e turistas, aglomeradas no cais e no centro da cidade, numa moldura humana que serviu para abrilhantar, ainda mais, o momento.

Segundo uma nota da Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, desembarcou na praia, onde chegou na Nau Santa Maria, numa recriação histórica que, mais uma vez, cumpriu com a tradição, naquele que é o ponto mais alto do Festival Colombo, organizado pela Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, através da Direção Regional do Turismo.

Depois da recepção,  a animação prosseguiu em toda a baixa e nas principais ruas do Burgo, por onde Cristóvão Colombo circulou, depois de ter desembarcado, fazendo jus à história e conquistando todos aqueles que assistiram ao Cortejo.

Satisfeito com o arranque do Festival, que “se diferencia e afirma pela sua forte ligação à cultura e à passagem de Cristóvão Colombo pela ilha”, o Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, reconhece o esforço e a colaboração de toda a população do Porto Santo.

Faz questão de enaltecer a participação dos turistas nesta experiência, o que, naturalmente, enriquece o evento: «termos turistas a participar nos nossos eventos é sempre positivo e vai ao encontro da estratégia que defendemos. É, acima de tudo, gratificante para toda a organização e para a própria afirmação deste destino, que naturalmente reforça a sua notoriedade com mais este evento de animação turística».

Recorde-se que o Porto Santo recebe o Festival Colombo com a melhor ocupação de sempre, situada nos 94%, mais 10 pontos percentuais que em 2016 – acompanhando, dessa forma, a tendência de crescimento que tem vindo a ser registada nos eventos do Calendário Anual de Animação Turística do destino Madeira.

A Festa prossegue hoje, a partir das 19.30 horas, com espectáculos diversos e muita animação itinerante, com as famosas arruadas e com as atuações dos malabaristas e saltimbancos a percorrer toda a baixa citadina, indo desembocar no já conhecido Mercado Quinhentista.