Poda de árvores suscita dúvidas: Mutilação de grevíleas na Avenida do Mar!

Foto Manuel Pita.

O ex-diretor regional da Agricultura, Manuel Pita ficou incrédulo quando passou pela Avenida do Mar, na zona entre o Sunny Bar e o MacDonlad’s, e reparou na forma como foram podadas as árvores.

“Quem terá ensinado que as grevíleas (Grevillea robusta) se podam assim?”, perguntou o engenheiro.

Efetivamente, para além de se questionar a poda nesta época do ano, questiona-se a quantidade de galhos lancetados.

Os especialistas revelam que uma poda inadequada pode deixar marcas  e até causar a morte da árvore pois um galho mal cortado, se não cicatrizar, é uma porta de entrada para humidade e organismos que provocam doenças, como fungos, cupins e outros.

Além disso, os rebentos que se formam após a poda  podem quebra-se facilmente, pois não tem ligação com o ‘esqueleto’ da árvore.

No caso das espécies plantadas nesta faixa norte da Avenida do Mar, junto à praça de táxis, trata-se da Grevillea robusta, da família das Proteáceas. É de origem australiana e dá-se em ambientes subtropicais.

Cada árvore pode atingir 30 a 35 metros de altura e, como tem porte grande, deve ser plantada em calçadas largas –acima de 3,6 m– e pátios com bastante espaço.

A poda é necessária?

Em ambiente natural não precisa de poda. Nas cidades elas são necessárias mais por conveniência do homem do que da espécie.
Convém verificar se a poda é mesmo necessária.