Banquete de espetada e milho frito servido a Alberto de Mónaco nas Desertas com visita de estudo aos lobos

Depois do contacto com as Desertas, as impressões do príncipe registadas no livro de honra, no próprio terreno. Fotos DR.

O Príncipe Alberto II de Mónaco já regressou hoje, no seu avião particular, ao Chile. São 12 horas de voo para participar numa conferência sobre o mundo dos oceanos nos tempos conturbados de hoje.

Tal como o FN já revelou, antes de partir, o Príncipe encerrou a visita ao arquipélago da Madeira com uma incursão oficial pelas Desertas, acompanhado do presidente do Governo Regional e responsáveis pelo Parque Natural da Madeira e Departamento de Ciência da Câmara Municipal do Funchal, a bordo do sumptuoso  iate “Yersin”.

Nas Desertas, com menos protocolo e ambiente descontraído, o reencontro com a natureza mais virgem terá sido um dos pontos altos desta visita. Uma visita demorada, pelas 11 horas de ontem, às grutas dos incontornáveis lobos marinhos.

O olhar demorado do Príncipe sobre as espécies endémicas das Desertas.
Por caminhos nunca antes navegados…

Depois, venha as iguarias típicas da Madeira. Um almoço tipicamente madeirense, mesmo nas Desertas. Espetada com milho frito e salada, um verdadeiro banquete regional, confecionado pelos serviços de restauração da Encumeada.

Por volta das 14h30 de ontem, o Príncipe fez-se ao terreno para uma caminhada de cerca de 60 minutos para respirar os ares puros das Desertas.

As impressões do Príncipe registadas no livro de honra.

A fechar esta visita, Alberto de Mónaco assinou o livro de honra para registar o seu testemunho deste passeio e houve troca de prendas entre Mónaco e a Região, ficando agora os canais diplomáticos seguramente mais abertos.

Pelas 07h00 desta sexta feira, foi o adeus do príncipe à Madeira com destino ao Chile, no seu avião particular. Um “au revoir” com a Madeira e as Desertas no coração.