Câmara tem cerca de um milhão de euros para requalificar centro do Estreito de Câmara de Lobos

Foto DR.

Os atuais elementos dos executivos autárquicos da Câmara Municipal de Câmara de Lobos e da Junta de Freguesia do Estreito de Câmara de Lobos apresentaram hoje a proposta técnica da primeira fase da intervenção urbanística no centro da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

Segundo uma nota de imprensa hoje divulgada, a apresentação teve lugar no centro da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

Na iniciativa, o presidente da Câmara, Pedro Coelho, dirigindo-se às pessoas presentes, referiu que os serviços da autarquia desenvolveram uma proposta técnica de intervenção urbanística para a revitalização e requalificação do espaço público municipal do centro da vila do Estreito de Câmara de Lobos, que, nesta primeira fase, compreenderá a execução de trabalhos de fundo ao nível da requalificação das principais vias daquele centro urbano, através da criação de passeios em toda a extensão das artérias viárias, com a criação e alargamento de passeios para promover uma maior mobilidade pedonal.

O presidente da Câmara referiu que, atendendo à importância e dinâmica económica daquela centralidade, a autarquia irá promover a utilização de materiais basálticos nos pavimentos dos passeios e de alguns dos troços viários, por forma a valorizar o espaço público.

No estudo técnico apresentado a edilidade anunciou também que todas infraestruturas de iluminação pública e telecomunicações serão transferidas para o subsolo, reduzindo o impacto visual das atuais redes aéreas existentes. Por outro lado, foi ainda destacado a requalificação do atual Largo do Patim, cujo espaço público pedonal será ampliado, resultando numa praceta de escala média, por forma a promover os atuais usos públicos de estada das pessoas que atualmente se verificam.

Pedro Coelho referiu que a proposta de intervenção urbanística será exposta a partir do próximo dia 01 de setembro, no Centro Cívico do Estreito de Câmara de Lobos, pelo período de 15 dias, podendo todos os cidadãos visitar e apresentar sugestões de melhoria ou propostas de alteração ao projeto apresentado pela edilidade, as quais serão posteriormente avaliadas e apreciadas pela equipa projetista, sendo que, em função da sua viabilidade técnica e financeira, poderão ser acolhidas na versão final que será implementada.

No debate estabelecido com os populares que estiveram presentes na apresentação da proposta técnica de intervenção urbanística para a revitalização e requalificação do espaço público municipal, o autarca referiu que o atual processo de auscultação prévia da população segue o mesmo princípio da abordagem prosseguida no caso da requalificação da Quinta Grande, já executada, e do Curral das Freiras, em fase de conclusão.

Refira-se que, antes de abrir os procedimentos públicos de contratação da empreitada e do início das obras no terreno, a edilidade câmara-lobense tem apresentado as propostas técnicas de requalificação e submetido-as a debate e discussão pública por parte das pessoas que habitam diariamente os espaços intervencionados, tendo, quer no caso do Curral das Freiras quer na Quinta Grande, sido apresentadas várias propostas de alteração e melhoria, as quais, na sua generalidade, foram acolhidas na versão final dos projetos.

Pedro Coelho referiu que a opção por esta metodologia de trabalho visa valorizar a opinião das pessoas que vivem os espaços públicos, sendo que as obras a serem executadas devem ser compatibilizadas, o máximo possível, com as vivências quotidianas dos cidadãos de habitam o centro das localidades.

De referir que a estimativa orçamental da atual proposta de requalificação do centro da freguesia é de cerca de um milhão de euros.