Ataques à facada na Finlândia e na Rússia fazem dois mortos e 16 feridos e atentado em Barcelona já provocou 15 mortos

Ramblas 1
O atentado na zona das Ramblas, em Barcelona, já provocou 15 mortos. Entre eles duas portuguesas, uma mulher de 74 anos e a neta de 20. DR

Dois ataques em dois dias, com recurso a uma faca, em dois países diferentes (Finlândia e Rússia), depois do atentado terrorista em Barcelona, que provocou 15 mortos e segundo os últimos dados fala-se em mais de 100 feridos na operação integrada da “célula terrorista”, colocam o mundo em estado de alerta e de preocupação, sobretudo em função da facilidade com que os atacantes chegam aos seus objetivos.

Em Barcelona, confirma-se um atentado, com reivindicação de uma organização jihadista. A utilização de uma carrinha, que irrompeu pelas Ramblas, zona muito movimentada e com milhares de turistas, matando na altura 13 pessoas e ferindo mais de meia centena. Dois destes feridos acabaram por morrer no hospital, colocando o balanço, agora, em 15 vítimas mortais, entre elas duas portuguesas, uma mulher de 74 anos e a neta de 20, cujos pais foram chamados pelas autoridades para reconhecer o corpo depois de ter sido dada como desaparecida.

No contexto do atentado em Barcelona, a polícia abateu cinco terroristas que se preparavam para um outro ataque, numa cidade a 120 quilómetros de Barcelona, Cambrils, este um ataque com explosivos. As autoridades evitaram assim novo massacre que fazia parte de uma estratégia integrada da chamada “célula terrorista”. Mas não evitaram mais feridos.

Ontem, na Finlândia, um homem atacou, indiscriminadamente, várias pessoas na cidade de Turku, matando duas e ferindo 8. A polícia atingiu o atacante na perna e deteve-o. Hoje, na Rússia, na cidade de Surgut, um homem, igualmente, segundo as informações, utilizando uma faca, causou oito feridos.

Sem dúvida que estes casos agravam sobremaneira a forma como, hoje, o mundo se encontra. Inseguro, em diferentes vertentes.