Freguesias à lupa: Estreito de Câmara Lobos bastião do Partido da Terra

A freguesia do Estreito de Câmara de Lobos afirmou-se nas últimas Autárquicas de 2013 como o bastião regional do MPT.

Aqui sempre foi o PSD a governar desde 1976 mas o MPT, com os seus 21,6%, obrigou o PSD a obter em 2013 o seu pior resultado de sempre (38,8%) e, assim, a governar sem maioria absoluta. Aliás, o que já tinha acontecido em 2009 graças aos 19,0% dos Votos obtidos pelo partido da Terra.

Em 2013 a coligação PS/PTP/PND/BE não foi além dos 11,5% dos votos.

O melhor resultado de sempre obtido pelo PSD foi em 1985 quando conseguiu 78,4% do eleitorado. O pior resultado foi em 2013 (38,5%).

O PS obteve o seu melhor resultado eleitoral no Estreito em 1997 e 2005 (15,6%) e o seu pior resultado em 1985 (8,7%).

O CDS obteve o seu melhor resultado de sempre nas últimas Autárquicas de 2013 (17,1%). O pior resultado do CDS foi em 1989 (1,5%).

A CDU tem obtido no Estreito resultados entre 3,0% e 7,9%.

A UDP e o BE alcançaram percentagens entre 2,4% e 6,6%. Refira-se que em 1976 concorreu a coligação GDUP-Grupos Dinamizadores de Unidade Popular que obteve 12,2% dos votos.

No Estreito, em 1989, concorreu um Grupo de Cidadãos que obteve 14,3% do eleitorado.

Na eleição seguinte, em 1993, entraram em cenas dois outros dois epifenómenos: O PSN que obteve 2,6% e o SFJS (Seremos Freguesia do Jardim da Serra) que obteve 10,7% do eleitorado e um mandato na Assembleia de Freguesia. Foi a expressão da luta do povo do Jardim da Serra em ver consagrada a sua freguesia, o que viria a ser uma realidade na eleição seguinte (1997).