Estepilha: candidato preso por “verga”

Rui Marote

Desde há muito que temos este curto texto pronto. Tempo suficiente para reflexão. Não queremos esgotar o tempo que nos resta para publicação, que a lei eleitoral nos concede. Hoje resolvemos na nossa escrita aplicar palavras próprias do falar madeirense que o povo herdou das gerações anteriores, parte das nossas tradições, usos e costumes. Vamos à palavra VERGA que pode significar – fio de metal (arame) ou grande bebedeira. (“Tou cá cuma verga”).

Mas é o primeiro significado o que associamos a esta situação nas barbas do candidato, que reside a uns 50 metros deste cartaz, em que a sua imagem surge fixada a uma árvore na rua do Bom Jesus. Quem tem no seu programa medidas ambientais rigorosas sendo duro para os seus adversários e apontando o dedo (“há menos pessoas no departamento de limpezas”) e de falta de organização do trabalho e falta de acompanhamento de quem lidera o pelouro do ambiente, enfim, não fica bonito… Pelo menos esteticamente, para não falar no significado implícito de “estar preso por verga”.

A imagem que publicamos é elucidativa. Não queremos crucificar o candidato mas sim alertar para a máquina de montagem de propaganda substituir as “vergas ” por outro material, talvez menos agressivo visualmente.
Estepilha então e o cartão Eco Ambiente anunciado nos jornais…?