Rubina Leal criticou no sábado gestão de Junta de Freguesia de Santa Maria Maior

“É o trabalho e a credibilidade que define os políticos” disse no sábado Rubina Leal, apontando para as equipas do PSD candidatas à Câmara Municipal do Funchal (CMF) e à Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, composta por pessoas com “provas dadas”, “competentes”, “sérias” e “honestas”, cujo único propósito “é servir as populações” do concelho.

Criticando o actual Executivo de Paulo Cafôfo, a candidata à CMF afirmou que “a política não de faz com mentira, aliás a mentira tem perna curta”. Referia-se a casos específicos como a suposta devolução do IRS, à derrama introduzida em 2013, aos prazos de pagamentos a fornecedores, à divida da autarquia, ao licenciamento de um prédio no Lazareto ou à alegada reabilitação de 70 prédios.

Rubina Leal falava este sábado durante a apresentação da equipa social-democrata à Junta de freguesia de Santa Maria Maior, que decorreu no final da tarde, no Café Teleférico Jardim Botânico.

“Às vezes é importante denunciar algumas coisas que não estão bem, até mesmo nesta mesma junta de freguesia”, referiu, lembrando que existe um processo a decorrer em Tribunal contra o actual executivo de Santa Maria Maior por má gestão dos dinheiros públicos, o que, afirmou, implica uma falta de transparência nas contas.

“No município do Funchal não é diferente. Quando se fala em dívida e em pagamento aos fornecedores, agora aparecem documentos que vêm provar que afinal a dívida não era aquela, e o pagamento aos fornecedores não é o que foi anunciado”, sublinhou.

É também a questão dos incêndios. “Eu não sei o que é que este executivo fez com a verba do Turismo de Portugal, de 3 milhões de euros, atribuída à CMF para o apoio às vítimas e aos edifícios turísticos”, disse, questionando a forma como a Câmara gere o orçamento autárquico, quando decide apoiar pilotos de rali estrangeiros com 25 mil euros, quando existem bons pilotos de rali na Região.

Por seu turno, Fernanda Gomes apresentou os eixos fundamentais da candidatura daquela freguesia, o da intervenção social e da cidadania e a valorização urbana e o desenvolvimento económico.