Edil do Porto Santo quer melhores condições para o aeroporto local poder apoiar passageiros

O presidente da Câmara Municipal do Porto Santo, Filipe Menezes de Oliveira, veio comentar a recente confusão no aeroporto do Funchal, com muitos passageiros condicionados nas suas possibilidades de entrada e saída da ilha da Madeira devido às condições atmosféricas pouco propícias para os voos, reclamando melhores condições para o aeroporto da ilha vizinha.

Na lógica do edil, dado que a infraestrutura aeroportuária portosantense se vem assumindo como “porto de abrigo” para os passageiros dos voos divergidos, e consequentemente impedidos de desembarcar na Madeira. Perante este cenário, e dado o interesse público do bom serviço a prestar aos viajantes, anunciou que a edilidade a que preside vai questionar todas as entidades com competência na matéria, nomeadamente os governos regional e da República e as companhias de gestão aeroportuária para saber se “não será melhor e mais adequado que dotem o actual equipamento do aeroporto do Porto Santo de melhores condições para acolher os passageiros e para criar eventos e actividades enquanto eles aguardam que haja os transfers para a Madeira”.

“Cada vez mais o Porto Santo assume-se como um destino de qualidade e excelência, não só do ponto de vista da tranquilidade, mas também da segurança para acolher estas aeronaves divergidas”, referiu, considerando importante que o Governo Regional da Madeira veja naquele aeroporto uma infraestrutura de relevante interesse para “minimizar mais constrangimentos”.