Governo faz passagem pedonal na Ponte Nova e secretaria de Sérgio Marques acusa Cafôfo de “covardia política”

Ponte Nova B
O Governo constrói passagem pedonal junto à Ponte Nova.

Uma nota da secretaria regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, que tem a tutela das obras, informa que o Governo “decidiu fazer uma passagem pedonal, junto à Ponte Nova, embargada desde 9 de Maio deste ano, por forma a diminuir os constrangimentos que decorrem do encerramento daquela passagem Fluvial”.

A recuperação patrimonial desta Ponte, diz a mesma informação, “está incluída na empreitada de regularização da ribeira de Santa Luzia, uma obra que vinha sendo executada e destinava-se a recuperar a traça original da ponte centenária, diminuindo para uma faixa a via rodoviária, e apesentando um passeio dentro do limite da ponte, libertando-a dos inestéticos e degradados acrescentos implantando a meio do seculo XX”.

Segundo refere a nota assinada assinada por Tiago Freitas, adjunto de Sérgio Marques, o secretário, é feita uma acusação à Câmara do Funchal por ter procedido ao que a secretaria considera “um embargo inédito e Ilegal no início de Maio, o que veio a impossibilitar o término desta obra, que já estaria aberta se o mesmo não tivesse existido. A Câmara impossibilita assim que o Património seja recuperado, preferindo manter a Ponte com um aspeto de estaleiro, tendo igualmente recusado todas as aproximações realizadas por parte do Governo”.

O adjunto político de Sérgio Marques afirma ainda que “no mesmo registo o Presidente Paulo Cafofo, numa clara posição de clara covardia política, esquivou-se  aos vários desafios de  debate que o Secretário Sérgio Marques lançou, por forma a resolver de vez a questão”.

 

Desta forma, e enquanto se mantiver a ponte embargada é oferecida uma solução de passagem para os peões que circulam naquela zona da cidade.