Deputado do PTP realiza visita solidária a Maria de Lurdes Rodrigues na cadeia de Tires

José Manuel Coelho tem extensivamente alertado na ALRAM para o que considera ser a prisão injusta de Maria de Lurdes Rodrigues
O deputado do PTP na Assembleia Legislativa Regional da Madeira, José Manuel Coelho,  realiza amanhã, dia 31 de Maio, uma visita solidaria, àquela que considera ser uma ” presa política”, a investigadora Maria de Lurdes  Rodrigues. Nesta  visita, segundo informa o deputado, o mesmo será acompanhado pelo activista da Associação 25 de Abril, Amaral Antunes  João.
“Relembramos   que a activista Maria de Lurdes, para além de detida injustamente, neste momento cumpre um castigo interno de vinte dias por prestar declarações com o exterior do estabelecimento prisional”, o que, entender do PTP, configura “mais um atentado a democracia e a liberdade de expressão”.
A visita decorrerá no Estabelecimento Prisional de Tires, logo pela manhã.
Maria de Lurdes Rodrigues foi condenada a três anos de prisão por se ter insurgido contra governantes, magistrados e polícias, na sequência de uma queixa que moveu contra o Ministério da Cultura de Manuel Maria Carrilho, por alegados procedimentos de falseamento no processo de aquisição de bolsas. Maria de Lurdes Rodrigues, investigadora, tinha ficado em segundo lugar no processo de atribuição de uma bolsa do Ministério da Cultura. O primeiro classificado desistiu, mas Maria de Lurdes Rodrigues nunca recebeu a bolsa. Moveu um processo, os tribunais inicialmente pareceram dar-lhe razão, mas depois as actas de decisão desapareceram e o processo foi arquivado. A partir daí, a agora presa lutou nos tribunais. Acabou por ser condenada por difamação e injúrias. Podia não ter ido para a prisão, se se tivesse submetido a consultas de psiquiatria. Mas negou-se, dado ser possuidora de um comprovativo médico de que não sofria de qualquer problema clínico. Acabou mesmo presa, o que, pelos crimes de que é acusada, é um caso extraordinário em Portugal.
O PTP considera-a merecedora do mesmo estatuto de um prisioneiro político e tem-na defendido com insistentes acções na Assembleia Legislativa da Madeira e não só.