Banda açoriana participa em protocolo com a Banda Municipal do Funchal

 

Realiza-se nos próximos dias um intercâmbio na Madeira entre duas bandas filarmónicas da Madeira e dos Açores, nomeadamente, a Banda Municipal do Funchal e a Sociedade Recreativa Filarmónica Fundação Brasileira, salienta a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura.

O intercâmbio realiza-se com o apoio da Direcção Regional da Cultura da Madeira em articulação com a Direcção Regional da Cultura dos Açores e envolve mais de cem músicos das duas bandas, refere uma nota.

A banda filarmónica dos Açores, a Sociedade Recreativa Filarmónica Fundação Brasileira, está sediada na freguesia dos Mosteiros (São Miguel), e foi fundada a 14 de Setembro de 1863, sendo uma das bandas mais antigas dos Açores e a mais antiga do concelho de Ponta Delgada.

Durante o programa que se estende até ao dia 15 de Maio, estão previstas várias actividades, nomeadamente a visita a espaços museológicos (Casa-Museu Frederico de Freitas, Museu Quinta das Cruzes, MUDAS e Universo de Memórias) e a vários pontos turísticos da Madeira (caso do Miradouro do Cabo Girão e das Grutas de São Vicente, entre outros).

O ponto alto deste intercâmbio acontece hoje, a partir das 18 horas, no adro da Sé do Funchal, na participação das duas bandas filarmónicas no concerto do “Dia dos Vizinhos”. No concerto, cujo repertório foi preparado conjuntamente pelas duas bandas, participam também os dois maestros responsáveis: Aquilino Silva (Madeira) e Marco Torre (Açores). Nesta actuação será possível ouvir músicas bem conhecidas de todos, como alguns “clássicos” do Festival da Canção, sucessos da música portuguesa de várias eras e ainda êxitos da música internacional. Não faltarão também as músicas tradicionais das duas regiões autónomas.

Além do concerto de hoje, os músicos dos Açores e da Madeira participarão na tarde de domingo na Madeira Auto Parade 2017.

O intercâmbio entre as duas bandas inscreve-se no protocolo de cooperação estabelecido há pouco mais de um ano e que tem como objectivo promover o intercâmbio e mobilidade de artistas, grupos, bandas e associações culturais de ambas as Regiões que se dediquem à música, folclore, dança, artes plásticas, teatro, cinema e multimédia, ou outras formas de expressão artística congéneres, refere a SRETC.

Entre as acções previstas incluem-se, entre outras, a promoção, apoio e incentivo do intercâmbio e mobilidade entre as Regiões de artistas, grupos, bandas e associações culturais; a participação de artistas, grupos, bandas e associações culturais oriundos de uma Região em eventos, festivais, encontros e demais iniciativas culturais organizadas na outra Região, nas áreas da música, folclore, dança, artes plásticas, teatro, cinema e multimédia, e outras congéneres, assim como a organização de programas, projectos, eventos e actividades conjuntas susceptíveis de reunir artistas.