Projecto ‘Capelas ao Luar’ reinicia-se a 18 de Abril

Foto: Fabíola Sousa- Capela Nossa Senhora da Conceição, Câmara de Lobos

Segundo informa a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, estão já abertas as inscrições para a edição de 2017 do projecto Capelas ao Luar. Esta acção da Direcção Regional de Cultura visa facilitar um conjunto de visitas guiadas a capelas da Região, muitas vezes indisponíveis ao público em geral, e possuidoras de referentes artísticos da mais alta importância no panorama das artes e do património da Madeira. Todas as visitas serão precedidas de pequenos apontamentos musicais, de música Renascentista e ou Barroca e Romântica, a cargo da Orquestra Clássica da Madeira.

Tal como na primeira edição, todas as acções das “Capelas ao Luar” são de acesso gratuito, mas carecem de inscrição prévia através do endereço capelasaoluar.drc@gmail.com.

O programa da edição deste ano inclui um total de seis actividades nos concelhos de Funchal, Santa Cruz, Calheta e Porto Santo, a decorrer entre os dias 18 de Abril, Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, e 20 de Maio, sempre a partir das 21 horas. O secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, convida a população a participar nesta iniciativa, recordando que esta é mais “uma oportunidade para ficar a conhecer um pouco mais sobre o património regional”.

A edição de 2017 das “Capelas ao Luar” inicia-se a 18 de Abril, na Capela de Santo António da Mouraria (Assembleia Legislativa da Madeira), no Funchal, com uma visita guiada por Francisco Clode de Sousa a ser precedida por um apontamento de música barroca. Esta capela foi mandada construir no princípio do século XVIII por João Aguiar, juiz da Alfândega do Funchal, como prova o seu testamento feito em 1714, e estava já aberta ao culto em 1715, embora só tivesse alvará episcopal em 1736.

No dia 21 de Abril, será dada a conhecer a Capela de Nossa Senhora da Vitória, também no Funchal. Embora a sua construção primitiva date do final do século XVI, esta capela pouco conhecida por muitos madeirenses é uma pequena ermida construída junto à ribeira dos Socorridos, que deu nome ao sítio. A visita guiada será da responsabilidade de Rita Rodrigues e haverá um apontamento de música renascentista.

A 27 de Abril, Rita Rodrigues e Francisco Clode de Sousa farão uma visita guiada à Capela da Mãe de Deus, no Caniço (Santa Cruz). Classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1940, a Capela da Mãe de Deus, situada no sítio com este nome, no Caniço, é uma típica ermida de construção ainda de traça manuelina. A anteceder a visita haverá um apontamento de música renascentista, refere o comunicado da SRETC.

No dia 4 de Maio, o projecto regressa ao Funchal para “revelar” a Capela de Nossa Senhora da Consolação, localizada na Levada de Santa Luzia e Rua da Torrinha, e actualmente propriedade da família Welsh. Francisco Clode de Sousa fará a visita guiada a esta capela cuja fundação e construção alguns historiadores apontam para o século XVII, embora toda a arquitectura e elementos decorativos identifiquem a estética de finais dos séculos XVIII e princípios do século XIX. Nesta noite haverá música barroca e romântica.

A Capela de São Lourenço, na Fajã da Ovelha (Calheta) será a penúltima Capela ao Luar de 2017 a 11 de Maio, com uma visita guiada por Filipe Bettencourt e apontamentos de música barroca. Trata-se de uma pequena ermida cuja primitiva construção remonta ao século XV e que está situada na Lombada de São Lourenço, junto à estrada municipal. Está classificada de Interesse Concelhio, equivalente a Imóvel de Interesse Municipal, desde 1977.

A edição deste ano do projecto “Capelas ao Luar” termina no Porto Santo, no dia 20 de Maio, onde será realizada uma visita guiada à Capela do Espírito Santo. Esta capela, situada no Campo de Baixo, Porto Santo, é uma construção do início do século XVII, ainda de traça maneirista. Em 1598 não estava referenciada num recenseamento realizado mas em 1655 ficou documentada uma campanha de obras. Sofreu intervenções significativas nos séculos XVIII, XIX e XX. Haverá um apontamento de música barroca e uma visita a cargo de Rita Rodrigues e Francisco Clode de Sousa.