Museu de Arte Sacra abre portas na Semana Santa com uma proposta de apreciação da cruz

Páscoa é tempo de recolhimento e reflexão. Por norma, as instituições públicas e museus estão fechados. Mas o Museu de Arte Sacra do Funchal vai abrir portas para lançar um desafio ao visitante com uma proposta cultural: contemplar e meditar na cruz, um dos principais símbolos do cristianismo.

Segundo a sua direção, o MASF é uma instituição detentora de uma valiosíssima coleção de pintura, escultura e ourivesaria dos séculos XVI a XIX. Neste sentido, o Museu associa-se às celebrações da Páscoa propondo aos visitantes um roteiro próprio, designado “Via Crucis – a Iconografia da Cruz”, que pode ser seguido de forma autónoma (pela utilização de um roteiro bilingue-português e inglês) após ingresso no Museu.
O horário de abertura ao público é, de segunda a sexta, das 10H00 às 17H00, e no sábado, das 10 às 13H00
O Museu estará encerrado no Domingo de Páscoa.

Assim sendo, o MASF vai estar aberto todos os dias da Semana Santa, incluindo a sexta feira santa, oferecendo aos visitantes uma proposta cultural de apreciação da Cruz, como símbolo grande do cristianismo e de cultura.

Assinalando o tempo da Páscoa, o MASF criou uma proposta para esta quadra religiosa, apresentando aos seus visitantes um roteiro temático que estará disponível ao público em formato bilingue (português e inglês).

Este programa interno do museu, alusivo à quadra pascal mas disponível até 29 de abril, propõe ao público interessado um percurso temático constituído por um conjunto simbólico de 15 representações da Cruz de Cristo, existentes nas coleções de ourivesaria, pintura e escultura do Museu de Arte Sacra do Funchal.

Enquanto principal símbolo da fé cristã, a cruz é uma das formas mais recorrentes da iconografia associada ao cristianismo, sendo conhecidas inúmeras variantes nos modos de a representar ao longo dos séculos. É esta diversidade iconográfica, com a multiplicidade de representações e simbologias que lhe são associadas, que o designado roteiro “Via Crucis: A iconografia da Cruz” propõe ao conhecimento. Com a ajuda de um guião bilingue, o percurso interno pela observação dos principais referentes museológicos desta “Via Crucis” poderá, assim, ser devidamente “explorado” pelo visitante.