Madeira contribui com 0,12% para que o país fique com défice de 2,1% em 2016

A Madeira contribuiu com 0,12% para que o país, em 2016, conseguisse um défice de 2,1% do PIB.

O contributo das contas públicas regionais pode ser verificado numa recente publicação do Instituto Nacional de Estatística (INE) e nos quadros da Direção Regional de Estatística (DREM) em matéria do reporte relativo ao Procedimento dos Défices Excessivos.

Em 2016, o défice do Estado ficou nos 2,1% do PIB e teria ficado nos 2,2% não fosse as contas da Madeira que ajudaram para a melhoria do défice nacional em 0,12%.

Em 2016, a capacidade de financiamento da Administração Pública Regional da Madeira situou-se em 230,1 milhões de euros.

Note-se que 2016 foi o quarto ano consecutivo em que se registou um saldo positivo nas contas da Administração Pública Regional e aquele no qual esse saldo atingiu o valor mais expressivo.

Na informação do INE é fácil ver que a Madeira tem contas positivas, ao contrário dos Açores que registou um défice de 59,9 milhões.

A dívida dos Açores cresceu cerca de 111 milhões face a 2015 para os 1596,3 milhões de euros.

Por seu turno, a Madeira tem vindo a diminuir a sua dívida bruta que justificou o resgate (na altura superior a 6 mil milhões de euros) para situar-se, no final de 2016, em 4 mil 839,3 milhões de euros.

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat, até ao final do mês corrente, a primeira notificação de 2017 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE). Foi isso que aconteceu.