Santana recupera caminho Real junto à Quinta do Furão

dinarte-1Teófilo Cunha, presidente da Câmara de Santana, visitou as obras de calcetamento de uma secção do Caminho Real 23 na Achada do Gramacho, junto a uma importante unidade hoteleira do concelho.
Segundo o presidente santanense, esta pequena secção do caminho real 23 “representa aquilo com que nos devemos preocupar em primeira mão, que é  preservar o que tem um imediato impacto em quem nos visita”, adianta mesmo que “turisticamente, junto a uma unidade hoteleira, fosse qual fosse a unidade, era um pecado deixar este pedaço de caminho neste estado!”, acrescenta que “este sim representa o desleixo de quem estava à frente da autarquia e permitiu há pouco mais de 15 anos que uma empresa que rasgou o caminho para passar tubos não repusesse a calçada original, a prova está aqui para quem quer ver, não adianta só agora falar em património porque nesse aspeto o CDS tem provas dadas e ainda dará mais porque não andamos a dormir!”
Teófilo Cunha tem de resto projetos, “só para caminhos reais temos um milhão e seiscentos mil euros 1.6M€ para candidatar”, adianta, concluindo que “não são caminhos que perderam por completo a hipótese de serem considerados recuperáveis, como aqueles que já receberam camadas e camadas de cimento, são transitados por carros e servem habitações, esses se alguém tivesse metido mão talvez hoje, alguns seriam mais reais!”
A adjudicação desta recuperação integra um caderno de encargos adjudicado à cerca dec dois meses e que tem na sua execução uma vereda em calçada na freguesia da Ilha.
Santana espera de resto que o governo regional demonstre a mesma vontade em relação aos caminhos reais do seu concelho que demonstrou em relação aos da Calheta.