Morreu a antiga diretora da Francisco Franco e dos Serviços Académicos da UMa

elisa-machadoMorreu a engenheira Maria Elisa Gonçalves dos Santos Basto Machado.

Elisa Basto Machado desempenhou várias funções relevantes na Região entre elas na Escola Francisco Franco e nos Serviços Académicos da Universidade da Madeira (UMa). Aliás, nesta última instituição, mesmo aposentada, em 1999/2000, o Executivo Regional autorizou que continuasse a desempenhar funções técnicas na área dos Serviços Académicos.

A 30 de Junho de 2009, no momento em que cessou, a seu pedido, as funções de técnica superior, no Sector Académico da UMA, o reitor de então, Castanheira da Costa manifestou-lhe publicamente um louvor “pelo profissionalismo, dedicação, lealdade, sentido de serviço público, disponibilidade permanente evidenciados na forma como sempre desempenhou as suas funções”.

“Pelas suas qualidades pessoais, aliadas a uma enorme capacidade de trabalho e profundos conhecimentos técnicos e a notável capacidade de  relacionamento humano, é com toda a justiça que lhe faço este louvor, dando público testemunho do seu inegável contributo para o desenvolvimento da Universidade da Madeira”, escreveu, na altura, Castanheira da Costa.

Ontem, a UMa publicou uma nota de pesar: “A Senhora Engenheira Maria Elisa nasceu no Funchal, em 1932. Lecionou na Escola Industrial do Funchal, tendo também dirigido a referida Escola durante dez anos. Saliente-se o facto de ter sido a primeira Diretora dos Serviços Académicos da nossa Universidade. Teve, por isso, uma grande importância no período de fundação e desenvolvimento da Universidade da Madeira não só pela sua enorme competência, como também pela capacidade de agregar vontades para a realização do projeto académico de que era responsável. Aliou a estas qualidades a de saber criar um ambiente excecional de simpatia e amizade que marcou indelevelmente todos quantos com ela trabalharam ou privaram.

O falecimento da Senhora Engenheira Maria Elisa Basto Machado deixa em todos nós um profundo sentimento de perda, mas também gratas recordações que ficarão para sempre gravadas na nossa memória”, revela a nota.

No campo religioso, como cristã empenhada, não deixou de dar o seu contributo à Diocese do Funchal, coordenando a Associação Internacional de Caridade (AIC), um dos movimentos laicos da Diocese.

O funeral foi ontem à tarde, saindo da Capela do Cemitério de Nossa Senhora das Angústias, em São Martinho, para jazigo de família no mesmo.

Será celebrada missa do 7º Dia na próxima Quinta-Feira, dia 6 de Outubro, pelas 17:00 horas, na Igreja do Colégio.

A história da família

Segundo o “registo genealógico das famílias que passaram à Madeira, escrito pelo Eng. Luiz Peter Clode, a família Basto Machado procede do Dr. Tomás Loureiro Machado, natural da freguesia de Santa Maria Maior, nascido a 29 de Dezembro de 1866, filho de José Simão Machado e de D. Maria Júlia Soares Machado, neto paterno de Simão Machado e de Josefa de Jesus e materno de Manuel Soares e de Cecília de Jesus, que casou, a 12 de Fevereiro de 1898, com D. Elisa Raphael Lecor Buys Basto, natural de Lisboa, filha de Raphael Eduardo de Azevedo Basto e de D. Matilde Amália Lecor Buys de Azevedo Basto, de quem houve 6 filhos: José Raphael Basto Machado; Raphael José Basto Machado; Eugénio Alberto Basto Machado; D. Maria Júlia Basto Machado; D. Maria Matilde Basto Machado e Capitão Tomás José Basto Machado.

O Dr. Tomás Loureiro Machado era medico pela Escola Médico-Cirúrgica do Funchal. Foi Sub-Delegado de Saúde da Ribeira Brava e médico militar miliciano.

O filho 1.º José Raphael Basto Machado nasceu a 26 de Marco de 1900 e casou com D. Olívia Gonçalves dos Santos Basto Machado, de quem houve 2 filhos: Nuno Gonçalves dos Santos Basto Machado e Maria Elisa Gonçalves dos Santos Basto Machado.

O filho 3.º Eugénio Alberto Basto Machado, casou com D. Maria Teresa Martins Pereira, natural de Lisboa, s. g. e o filho 6.º Capitão Tomás José Basto Machado casou com D. Maria Regina Basto Machado, natural do Continente, de quem houve 2 fiIhos: Maria Matilde e António José Basto Machado.