Deputado Mário Pereira denuncia degradação nos Marmeleiros

mário pereiraHospital ou cadeia? O deputado centrista Mário Pereira volta à carga nas críticas à falta de investimento na Saúde. O Hospital dos Marmeleiros continua no centro das denúncias. O parlamentar, médico de profissão, revela o cenário que encontrou naquela unidade durante uma visita dos deputados madeirenses.

Na passada quinta-feira, os elementos da 5ª Comissão Especializada de Saúde e Assuntos Sociais visitaram o Hospital dos Marmeleiros, unidade que tem estado sob fortes críticas de políticos, técnicos de saúde e utentes devido às condições de salubridade e de degradação do edifício e equipamentos.

(Foto Facebook Mário Pereira)
(Foto Facebook Mário Pereira)

Durante mais de três horas, os parlamentares ouviram as preocupações de médicos, enfermeiros e também dos responsáveis pela manutenção.

Mário Pereira, um dos vogais da Comissão, e deputado do CDS-PP, partido que havia solicitado a visita às unidades de saúde tuteladas pelo SESARAM, ficou preocupado com a situação que encontrou.

“O edifício carece de manutenção, não há estacionamentos (nem pago), as infeções são uma bomba-relógio, quando chove há escadarias que têm de ser fechadas, 3 dos 4 elevadores não funcionam e as enfermarias estão sem condições, com janelas fechadas a cadeado. Hospital ou cadeia?”, pergunta o deputado que não poupa no rol dos problemas que diz ter encontrado.
“Desde falta de comida para os doentes, com os familiares a trazerem os alimentos, pratos, copos, até à confeção inadequada às doenças, familiares a oferecerem varinhas mágicas ao hospital pois não as tem, passando por falta de medicamentos (1 em cada 13 está permanentemente esgotado cada dia), roupa, colchões, vidros partidos das enfermarias a serem tapados há semanas com cartão, isolamento de janelas com adesivos, infiltrações líquidas altamente contaminadas a escorrerem há meses para zonas supostamente asséticas”.

(Foto Facebook Mário Pereira)
(Foto Facebook Mário Pereira)

O relato exaustivo dos problemas que marcam o dia a dia que quem está ali internado e que afetam também funcionários e visitantes foi publicado pelo deputado centrista na sua página pessoal, nas redes sociais, acompanhado de fotografias.

Nas contas de Mário Pereira, faltam  ainda 148 enfermeiros de forma a cumprir os mínimos legais.
“De positivo só mesmo o empenho e o amor à camisola dos profissionais que fazem o que podem para dar o melhor atendimentos aos doentes internados”, sublinha.

Face à manutenção da situação, Mário Pereira avança que acabou o “estado de graça” dos administradores e da direcção clínica do SESARAM.

Vânia Jesus, a presidente da 5ª Comissão Especializada, também integrou a comitiva. A deputada do PSD-M já fez saber que não concorda com a visão pessimista dos deputados da oposição.