CDS-PP afirma que gastronomia é Cultura e quer protegê-la

cds

O CDS-PP esteve hoje no Estreito de Câmara de Lobos, na sede da Academia Madeirense das Carnes, para apresentar, pela voz do deputado José Manuel Rodrigues, uma proposta que o grupo parlamentar do partido vai submeter à Assembleia Legislativa Regional , visando elevar a gastronomia madeirense a património regional.
A Academia Madeirense das Carnes, refere o CDS, havia desafiado o partido a trabalhar na referida proposta.

Para o CDS, este é um assunto “da maior importância”, e que passa pela valorização da gastronomia regional e dos nossos vinhos.

“A Madeira é uma terra com 600 anos, e tem uma riqueza e uma história que convém valorizar e potenciar”, afirmou.

Entre o património cultural que pode e deve ser valorizado, no entender dos centristas, está a gastronomia,

Respondendo ao repto que foi lançado pela Academia das Carnes, o CDS foi, pois, apresentar à sua direcção um diploma regional que define o regime jurídico do património cultural imaterial, onde se insere a gastronomia e os vinhos da Região.

O que os centristas pretendem é que exista um diploma que permita ao Governo Regional, às Câmaras Municipais, às Juntas de Freguesia e às confrarias gastronómicas inventariarem e classificarem este património.

Para além do património material, edificado, por exemplo, “há um outro conjunto de manifestações culturais e artísticas, as chamadas imateriais, que não estão inventariadas, não estão classificadas”, conforme sublinhou José Manuel Rodrigues. A comida também faz parte disso, na perspectiva do CDS, pelo que há que valorizá-la nas suas expressões mais próximas da nossa região.

Daí que o CDS vai apresentar o referido diploma na Assembleia Legislativa Regional.

Este património, afirma o partido, poderá ser “um excelente instrumento de desenvolvimento, de criação de emprego”, como acontece nos outros países.

“Gastronomia é cultura”, afirmou.