Papa Francisco recebe Marcelo Rebelo de Sousa no Vaticano

/LC/

Foto: LUSA
Foto: LUSA

O Vaticano revelou que o Papa e o presidente da República abordaram o “debate” que está em curso na sociedade portuguesa sobre “a dignidade da vida humana”.

O comunicado oficial divulgado após o encontro entre Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa sublinha o facto de esta ter sido a primeira viagem ao estrangeiro após a tomada de posse presidencial.

“Evidenciou-se o apreço pelas boas relações entre a Santa Sé e Portugal, bem como o contributo que a Igreja dá à vida do país, dedicando uma referência especial ao debate na sociedade sobre a dignidade da vida humana e sobre a família”, pode ler-se.

A audiência de 30 minutos com o Papa concluiu-se com uma troca de presentes e uma sessão de cumprimentos à delegação da Presidência.

O presidente português encontrou-se depois com o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, acompanhado pelo secretário do Vaticano para as relações com os Estados, D. Paul Gallagher.

Segundo o Vaticano, houve uma “troca de opiniões sobre a situação na Europa e na bacia do Mediterrâneo, em particular sobre a questão migratória, bem como sobre outras questões de relevo internacional”.

Foto: Alessandro Bianchi
Foto: Alessandro Bianchi

Segundo o presidente da República Portuguesa, no encontro com os responsáveis pela diplomacia da Santa Sé houve “oportunidade de falar de inúmeras temáticas”, que interessam às duas partes, como “o processo europeu”, a situação dos refugiados, a “problemática da paz do mundo” ou as relações com os países onde há comunidades “fortes” de portugueses e com quem existem “laços históricos”.

“Em geral, eu diria que o balanço é muito positivo, desta primeira visita efetuada enquanto presidente da República, em que se diz dar um cunho simbólico especial”, referiu.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “foi possível passar em revista uma série de temas que são importantes para a atual situação económica, social e política mundial”.

“Imperecível foi a audiência com o Santo Padre porque ficou muito patente o modo como acompanha o que se passa em Portugal e o apreço que tem por Portugal e pelos portugueses”, concluiu.

Fonte: Agência Ecclesia