Quando serão retirados os insuportáveis “aranhiços”?

oi000023.jpg

Todos nós, funchalenses, estamos conscientes da contratação, por cerca de cem mil euros, que as entidades governamentais fizeram a um distinto arquitecto da nossa praça para divisar iluminações natalícias para a cidade, que despertaram polémica. Aparentemente, as luzes do penúltimo Natal eram demasiado brancas para o nosso gosto e, de resto, demasiado parecidas àquelas que, coincidentemente, tinham ainda recentemente surgido numa certa cidade do estrangeiro, onde se fala uma língua germânica. Tudo isto já foi discutido ‘ad nauseam’, pelo que não entraremos por aí.

oi000024.jpg

Constataremos, simplesmente, que o contrato era para dois anos, e que no Natal passado houve muito quem temesse que se repetisse o ‘flop’ sem graça das minimalistas luzes natalícias anteriores. Mas muita gente, inclusive nós próprios, respirou de certo alívio quando o resultado final (cuidadosamente acautelado pelo secretário regional Eduardo Jesus) não foi tão mau como o anterior, e até incluiu alguma cor e motivos tradicionais.

Atrevemo-nos a recordar, no entanto, que as estruturas que mais criaram constestação foram uma inestéticas armações metálicas, rapidamente denominadas “aranhas” ou “tarântulas” com sarcasmo pelo vulgo, que foram erguidas em cima das ribeiras do Funchal.

Embora discutível, o resultado final não foi propriamente horroroso, pelo que nos sentimos magnânimos. O pior, e é aqui que a porca torce o rabo, é que o Natal já passou há muito, o Carnaval também, aproxima-se a Páscoa e continuamos a ter de suportar, sobre as nossas ribeiras, aqueles insuportáveis aranhiços. Até quando?? É que, se o efeito nocturno desculpava alguma da sua indisfarçável fealdade à luz do dia, agora que as estruturas não estão iluminadas à noite, por que cargas d’água continuam ali, em cima das ribeiras do Funchal? Não temos já monos suficientes? E muros destruídos à beira das ditas ribeiras a aguardar solução definitiva desde o 20 de Fevereiro de 2010? O que nos obriga a suportar isto?

É caso para dizer: Estepilha!…