Bispo alerta: “Exercer a caridade é mais do que distribuir bens”

bispo antónio carrilho“Não sejamos apenas distribuidores de bens, mas promotores e testemunhas da caridade”. O apelo foi feito esta manhã pelo bispo do Funchal à assembleia diocesana das Conferências de São Vicente de Paulo, no auditório da Escola da APEL.

Neste primeiro domingo da Quaresma, o tema de reflexão proposto centrou-se nos objetivos do Ano da Misericórdia e foi desenvolvido pela conferencista convidada Graça Alves, com base na respetiva Bula da proclamação assinada pelo Papa Francisco. Um documento que, para D. António Carrilho, constitui “um alerta, uma interpelação”, no sentido em que “devemos interiorizar bem a mensagem para melhor atuar a favor dos mais pobres e carenciados”, referiu, citando a propósito a mensagem do Santo Padre para a Quaresma.

Assim, “exercer a caridade é muito mais do que dar alguma coisa, é muito mais do um simples distribuir bens”, sublinhou o bispo do Funchal que na oportunidade agradeceu o trabalho dos Vicentinos na nossa diocese e ofereceu ao Conselho Central um donativo de cinco mil euros, recolhidos do Fundo Social Diocesano.

“A caridade faz-nos atentos, promotores e testemunhas, e leva-nos a olhar o outro como irmão, com atenção e respeito”, salientou D. António nas breves palavas que dirigiu às centenas de participantes neste Dia Vicentino, onde também estavam presentes o presidente do Conselho Nacional da Sociedade de São Vicente de Paulo e da presidente recentemente eleita, entre outros responsáveis.

O evento, organizado pelo Conselho Central do Funchal da Sociedade de São Vicente de Paulo, reúne durante todo o dia membros e responsáveis das 38 Conferências Vicentinas existentes na Madeira e Porto Santo.

Após a passagem pelo Dia Vicentino, o bispo da Diocese do Funchal viajou ao início da tarde para o Continente, onde vai participar, ao longo da semana, em reuniões de trabalho na Comissão Episcopal do Laicado e Família e no retiro anual do episcopado português, no Santuário de Fátima.