Orquestra Clássica atua sábado no Salão Nobre da Assembleia

orquestra clássica da MadeiraA ANSA-Associação Notas e Sinfonias Atlânticas, com o apoio da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, apresenta um concerto da Orquestra Clássica da Madeira no próximo sábado, dia 31 de outubro, pelas 18:00 horas, no Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira.

O Concerto estará sob a direção do maestro Rui Pinheiro e conta com a especial participação do fagotista Madeirense, Carlos Santos.

O programa contempla as obras de Mendelssohn “Abertura Sonho de uma Noite de Verão”, Mozart “Concerto para Fagote K. 191” e de Haydn “Sinfonia N. 104 em Ré maior Londres”.

Os bilhetes para o concerto estão disponíveis no Posto de Informação Turística, no Funchal, até sexta-feira das 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00. No sábado, estão disponíveis das 10:00 às 13:00 no Posto de turismo e a partir das 14:00 horas no local do concerto.

rui pinheiro maestro

Maestro Convidado, Rui Pinheiro

Rui Pinheiro é Maestro Titular da Orquestra Clássica do Sul desde Janeiro de 2015. Entre 2010 e 2012 foi Maestro Associado da Orquestra Sinfónica de Bournemouth (Reino Unido), onde dirigiu mais de uma vintena de programas, destacando os Hall of Fame e as celebrações do Jubileu da Rainha Isabel II. Foi Maestro Titular da Orquestra do Conservatório Nacional de Lisboa (2005­‑2008) e em Londres foi Director Musical do Ensemble Serse, companhia de ópera barroca em instrumentos de época. Aí fundou o Ensemble Disquiet, dedicado à divulgação da música contemporânea portuguesa (2008­‑10). Dirigiu as principais orquestras portuguesas. Após a sua estreia operática no Teatro Nacional de São Carlos, dirigiu este ano uma produção do Teatro de Zarzuela de Madrid. Trabalhou ainda com a Orquestra da Ópera Nacional de Gales, nos festivais Vienna ­‑ City of Dreams da Orquestra Philharmonia e nos BBC Proms­‑Plus em directo para a BBC – Radio 3. Entusiasta de música contemporânea trabalhou com compositores como Kenneth Hesketh, Alison Kay, Augusta Read Thomas, Stephen MacNeff, Pedro Faria Gomes, Luís Soldado, Luís Tinoco, Nuno Côrte­‑Real, Isabel Soveral e Clotilde Rosa entre outros, de quem dirigiu diversas estreias mundiais. Dirige regularmente o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa. É licenciado em Piano pela ESMAE e Mestre em Artes Musicais pela Universidade Nova de Lisboa, com uma pós­‑graduação em piano e música de câmara na Academia Ferenc Liszt de Budapeste e um Mestrado em Direcção de Orquestra no Royal College of Music de Londres, onde estudou com Peter Stark e Robin O’Neill. Trabalhou ainda com Jorma Panula e Colin Metters.

Carlos Santos fagote

Solista, Carlos Santos (fagote)

Iniciou os seus estudos Musicais no Conservatório de Música da Madeira aos 11 anos na classe de Saxofone, ingressando 5 anos mais tarde  na classe de Fagote do Prof. Zolt Pap. Foi estagiário da Orquestra Clássica da Madeira por duas temporadas, e em 1997, participou num curso de Fagote e Música de Câmara em Millstad na Áustria, onde conheceu Michael Werba, solista da Orquestra Filarmónica de Viena, partindo daí um convite para estudar com ele. Em 1998 foi para Viena onde estudou com Michael Werba, Kurt Pfleger e Pascal Gallois.

Bacharelato pela “Kunst Universität Graz” e depois Master of Arts pela “Konservatorium Wien – Privat Universität”. Em 2004 recebeu o primeiro prémio no concurso “Fidelio” na Categoria de Musica de Câmara com o “Quintett Cuvée”. Frequentou masterclasses com Michael Werba e David Seidel, tendo participado, por quatro vezes, na Academia internacional de Orquestra em Attergau e em 2011 na Academia da Orquestra Filarmónica de Viena em Salzburgo.

Trabalhou como músico convidado em várias Orquestras, entre elas a Orquestra Filarmónica de Viena, a Bilkent Sinfonie orchestra em Ankara – Turquia, tal como na Opera Estatal de Viena e na “Wiener Volksoper”. Realizou diversas tournées em Itália, Espanha, Alemanha, China, Ucrânia, Polónia, e Venezuela e trabalhou com maestros como Ricardo Mutti, Daniel Barenboim, Valery Gerguiev, entre outros.

Atualmente trabalha com várias orquestras em Viena, tal como a Mozart Orchester e a Wiener Residenz Orchester, e é membro fundador do quinteto de sopros “Kammerquintett Wien”