MPT denuncia problemas do Porto Santo

partido-da-terra

O Partido da Terra esteve hoje na Ilha do Porto Santo numa acção de campanha em contacto directo com a população.
Como é de conhecimento geral, aquela ilha continua com a taxa de desemprego mais elevada do país, alerta o MPT.

“O apoio do Governo Regional não tem chegado à população do Porto Santo, e as políticas de emprego para aquela ilha são poucas ou nenhumas. São muitos os estabelecimentos comerciais que já fecharam as portas e muitos caminham para o mesmo”, afirma o partido.

“A tão prometida redução dos preços das passagens marítimas é “fogo de vista” pois só baixará 20.00€ em época baixa, facto que no entender do Partido da Terra não tem sentido visto que os madeirenses e portosantenses viajam todo o ano. O Partido da Terra defende que é hora de acabar com o monopólio Sousa naquele que é o único transporte para aquela Ilha”, refere um comunicado daquela força política.

“Outra promessa até agora não cumprida é a escola secundária. Esta promessa já vem do tempo do Dr. Jardim e agora Miguel Albuquerque teima em adiar cumprir esta promessa que deveria ser uma das suas prioridades pois a presença de amianto naquele estabelecimento que é frequentado todos os dias por crianças, jovens, funcionários e professores, está comprovado que é um atentado à saúde pública.
Em relação às viagens aéreas o Partido da Terra entende que o Portosantense não deve pagar mais do que aquilo que o madeirense paga. Entendemos que a população do Porto Santo deveria ter o popularmente chamado “bilhete corrido”. Esta população em relação a este assunto vem sendo muito penalizada”.
O Partido da Terra encontrou também nesta ilha “muita pobreza, muita miséria que são consequência das imposições do governo do PSD de Passos Coelho e CDS de Paulo Portas”.
Aos portosantenses o Partido da Terra apela a que votem no Partido da Terra no próximo dia 4 de Outubro, comprometendo-se com estes a fazer mais e melhor.