CDU exibe pergaminhos de acção a favor das populações

cdu

A Candidatura da CDU pelo Círculo Eleitoral da Região Autónoma da Madeira às Eleições para a Assembleia da República de 04 de Outubro esteve hoje, domingo, dia 27 de Setembro de 2015, em campanha no concelho de Câmara de Lobos, apelando ao voto em quem “realmente tem provas dadas na defesa das populações”.

A reputação da CDU, em Câmara de Lobos e no resto da Região, enquanto força de luta e de reivindicação, de defesa dos trabalhadores e das populações, de permanente participação nas localidades, não é de agora, garante o partido.

Trata-se de uma “reputação construída ao longo de muitos anos, reforçada pelo papel e pela actuação de homens e de mulheres que assumiram e assumem processos de luta pelos mais variados direitos e diversas reivindicações, desde a elevação do Jardim da Serra e do Garachico a freguesia, até o realojamento dos moradores da “Casa do Porrão”, passando pela abertura de caminhos agrícolas e outras acessibilidades, acesso à rede de saneamento básico, melhores condições para os transportes públicos e escolares, melhoria das condições de segurança das populações em zonas de risco, construção de novas escolas, centros de saúde e outras infraestruturas e equipamentos públicos, mais apoios e infraestruturas para as actividades produtivas locais – nomeadamente a Agricultura e as Pescas –, defesa do meio ambiente, apoio à Cultura e divulgação das tradições locais, etc.…”

cdu2

A CDU sublinha que tem actividade e provas dadas ao longo de muitos anos.

“Não somos como uns que tudo prometem mas que nada fazem, ou outros que só aparecem quando lhes cheira a votos mas que depois das eleições desaparecem para nunca mais os vermos e para só ouvirmos falar novamente deles quando há campanha. Faça sol ou faça chuva, a CDU está sempre presente e apoia as populações e as localidades”, realça.

“E se até agora muito fizemos, a partir de dia 04 de Outubro muito mais faremos, especialmente com o reforço do número de votos e do número de deputados da CDU na Assembleia da República”, prometem.

“Votar CDU”, asseveram, é validar uma política alternativa, patriótica e de esquerda, que combata as políticas de direita que têm empobrecido o País e a Região, e empurrado milhões de Portugueses para o desemprego, para a miséria, para a exploração e para a emigração. Votar CDU é votar em gente séria, trabalhadora, honesta, competente, responsável, que assume os seus compromissos para com o Povo e com o País.
As populações de Câmara de Lobos conhecem a CDU, conhecem o nosso trabalho; as lutas por nós dinamizadas são disso exemplo. Se muito temos feito por elas, muito mais faremos com mais votos e mais deputados.
Para combater as assimetrias socioeconómicas, para lutar contra a austeridade, para inverter o rumo de desastre, para promover a justiça social, para repor direitos e rendimentos, para reerguer o País, para salvaguardar o respeito pelos direitos inalienáveis e constitucionalmente garantidos, a única opção correcta é votar CDU.
Há que evitar erros de siglas e símbolos semelhantes. A CDU é só uma: no boletim de voto, está representada pela foice e o martelo e o girassol”.