Criação de emprego na agenda do Juntos Pelo Povo

Nelson Veríssimo.JPP

A candidatura do JPP está preocupada com o desemprego e com a falta de medidas eficazes de combate ao fenómeno, considerando a falta de emprego um dos piores flagelos sociais. “A austeridade destruiu o emprego em Portugal, impôs como norma a precariedade dos contratos de trabalho e fez baixar os salários”, acusou o cabeça de lista de lista do JPP, este manhã no Santo da Serra. Nelson Veríssimo apontou ainda as consequências individuais do desemprego, lamentando que mais de metade dos desempregados não esteja a auferir qualquer tipo de apoio social. “Além da situação financeira do desempregado, há que reconhecer o drama de quem vive a indignidade de não ter trabalho”, disse Nelson Veríssimo.

Neste domingo, no Santo da Serra, e antes na Achada em Gaula, o JPP promoveu ações de esclarecimento político edivulgação de objetivos daquele movimento para as próximas eleições para a Assembleia da República. Usaram da palavra o deputado Élvio Sousa, o presidente da Junta de Freguesia do Santo da Serra – Santa Cruz, José António Baptista Reis, e o cabeça-de-lista pelo círculo da Madeira, Nelson Veríssimo.

O candidato salientou o interesse da eleição de deputados do JPP para a Assembleia da República e abordou a questão do desemprego, considerando-a uma das maiores preocupações dos portugueses nos tempos atuais. «As estatísticas registam um desemprego de 12,4%, percentagem conseguida não só com a criação de emprego pelas empresas, mas também pelos estágios e a redução da população ativa, ditada pela emigração e pelo número de pessoas que saíram do mercado, porque desistirem de procurar um emprego. No entanto, o número de desempregados é muito superior a essa percentagem. Mais do que os números, importa os desempregados e, por isso, há que estabelecer novas políticas para o crescimento da economia e a criação de emprego”, acrescentou Nelson Veríssimo que acusou o atual governo de coligação PSD/CDS de ter destruído cerca de 260 mil postos de trabalho desde o início do mandato.