Descrédito da classe política motiva 1.ª intervenção de Clara Tiago

clara-tiago-psd
Foto ALRAM.

Na primeira vez que interveio em plenário, antes da ordem do dia, longe de imaginar o que viria a seguir (interrupção dos trabalhos por causa de José Manuel Coelho), a deputada do PSD, Clara Tiago centrou a sua intervenção na descredibilização da classe política.

“Não posso deixar de salientar que a erradicação ou, se quisermos, o debelar sucessivo desde descrédito da actividade política passa, necessariamente, por procurarmos dignificar a actividade parlamentar, respeitando as regras próprias desta casa”, disse.

A deputada lançou o repto para que, no quadro parlamentar, seja possível encontrar consensos para a elaboração de um código de conduta dos parlamentares que preveja mecanismos idóneos a impedir condutas que desprestigiem o parlamento e a actividade política.

“Que dirão os cidadãos quando são confrontados com interrupções dos trabalhos motivados por inqualificáveis e teátricas intervenções, deploráveis, num absoluto desrespeito das mais elementares regras democráticas”, vaticiou. Parece que adivinhou o que vinha aí.