Revista Islenha relembra o poeta Francisco de Vasconcelos

 

unnamed (1)A Revista Islenha 56 já está a ser distribuída desde ontem, 17 de julho, e tem como tema principal de capa o poeta Francisco de Vasconcelos, que nasceu no Funchal, em 1665. Nomeado ouvidor da Capitania do Funchal, aqui permaneceu até à sua morte, em 1723, deixando uma obra poética que é das mais consideradas do período barroco. Cidália Dinis, que defendeu tese de doutoramento na Universidade do Porto com uma Edição Crítica e Estudo da Obra de Francisco de Vasconcelos Coutinho (3 Volumes, em 2012), faz neste número uma breve revisitação do poeta, que nos dá a justa medida da bitola do poeta que sublinhou como ninguém, no seu tempo, a dimensão biológica e finita do homem. Autonomia e Trabalho é outro tema de destaque nesta Islenha 56, num instrutivo ensaio intitulado ‘Apontamentos sobre a Autonomia Regional na área laboral, na Região Autónoma da Madeira’, de Rui Gonçalves da Silva, onde se faz a história do processo de autonomia e regionalização de um dos sectores mais importantes da sociedade contemporânea, como é o da área laboral.

Mas outros temas são propostos aos leitores e assinantes, a que se acrescenta uma secção nova na Revista, ‘Documenta’, onde se dá conta, neste número, de um conhecido ‘Breve de São Gonçalo’, agora disponibilizado aos documentalistas e historiadores, em tradução portuguesa.

No Editorial e na Contracapa, lembra-se ainda Herberto Hélder, que faleceu quando a revista estava em fase final de paginação, e a quem Frederico Lourenço, intuitivo, chamou de ‘o Homero português’.

De salientar que a revista está à venda na Loja Livros DRC Madeira, à Rua dos Ferreiros, 165, nas  livrarias habituais, e pode ser encomendada através do e-mail islenha.assinaturas@gmail.com.