Menos madeirenses em Fátima por causa da TAP

fatima
Este ano há menos madeirenses no santuário devido aos problemas dos últimos dias nas viagens aéreas.

 

Registou-se este ano uma “grande redução” na procura pelas viagens de peregrinação ao Santuário de Fátima, devido sobretudo à greve dos pilotos da TAP.

Gorete Araújo, da Bravatour, uma das agências que tradicionalmente trabalham neste segmento, não esconde os efeitos negativos que a anunciada paralisação de dez dias teve em termos de procura.

Segundo a empresária, as dificuldades em garantir voos levaram a alterações de última hora na programação da agência.

Dos três programas definidos com destino àquele santuário mariano, dois tiveram de adiar a calendarização de forma a garantir aos clientes as melhores condições. Assim, o de 9 a 13 de maio foi alterado para 12 a 17 de maio, e o de 7 a 14 para 12 a 19. Manteve-se o programa de 10 a 13 de maio.

Para além da greve, Gorete Araújo aponta ainda conjuntura económica desfavorável. “As condições financeiras não melhoraram nada para a Madeira. Por isso, continua a sentir-se uma enorme recessão nas vendas destes programas”.

Nesta altura, quem vai a Fátima procura essencialmente participar nas celebrações do 13 de maio. São sobretudo fiéis devotos ao fenómeno mariano. Segundo o Funchal Notícias apurou estarão hoje no Santuário grupos das paróquias de São Roque e São José, além de outros três a título particular. Marcos Gonçalves, sacerdote madeirense, encontra-se também no local. Refere que a Diocese do Funchal está bem representada naquele santuário, quer através dos grupos em peregrinação, quer através de todos os madeirenses que, em grupo ou particularmente, se encontram em Fátima.

Analisando o fenómeno mariano e a sua importância para os madeirenses, o sacerdote relembra que os fiéis católicos “têm Nossa Senhora de Fátima no seu coração”.

“Ela é o melhor caminho para Deus. Na Madeira e Porto Santo, nas nossas igrejas e capelas, ou nas casas particulares e mesmo alguns negócios os fiéis têm imagens de Nossa Senhora e a Ela recorrem e pedem graças. Mesmo aqui nas ilhas as paróquias rezam o terço e realizam a procissão das velas”, recorda.

Questionado sobre a forma como os peregrinos entendem a visita a Fátima, se por fé ou turismo, Marco Gonçalves garante ser a grande devoção aquilo que move as pessoas. “Mesmo quem vai em passeio a Fátima passa sempre na Capelinha e reza e acende uma vela a Nossa Senhora, agradece e louva. As viagens são sempre uma oportunidade para conviver uns com os outros, conhecer outros lugares, a história, a cultura, os monumentos e certamente fazer também uma viagem espiritual de agradecimento e oração. O ponto mais alto das nossas viagens é sempre a celebração da missa. é um momento emocionante para todos.”

Atentas a este nicho de mercado, as agências de viagens oferecem todos os anos alternativas de circuitos em complemento ao produto” Fátima”. Neste momento, a Bravatour tem em viagem cerca de 30 clientes que compraram circuitos em que, para além do santuário nacional, incluem ainda dois outros lugares de referência para os peregrinos: Lourdes (França) e Santiago de Compostela (Espanha).

Outro grupo de 25 pessoas encontra-se em São Miguel, nos Açores, para participar nas Festas de Santo Cristo.

Segundo Gorete Araújo, algumas reservas começam a ser feitas a partir de fevereiro, embora haja clientes a procurar as agências a poucas semanas do acontecimento das celebrações do 13 de maio.

Até ao momento, a empresária garante não ter encontrado problemas nas reservas de alojamento na zona de Fátima. Uma situação que poderá vir a mudar se se confirmarem as notícias de que algumas unidades hoteleiras já estariam com as reservas para 2017 esgotadas, devido à anunciada visita do Papa Francisco ao Santuário de Fátima paras as celebrações do centenário das Aparições.

No âmbito da visita do Papa, recentemente anunciada, o Pe. Marcos Gonçalves remete para a deslocações dos anteriores chefes da Igreja Católica, João Paulo II e Bento XVI, ao santuário de Fátima. Nesses momentos, a Diocese do Funchal esteve representada por centenas de fiéis. Acredita que desta vez não será diferente.

“Fátima irá receber o Papa Francisco para as celebrações dos 100 anos das aparições de Nossa Senhora de Fátima. Será certamente uma grande festa e haverá participação de muitos peregrinos de muitos países. Certamente irão participar grupos das nossas paróquias. Estaremos bem representados”, garante.