Campanha do CDS-PP avança com equipas de rua

MÁRIO PEREIRA-CDS-FOTO

O CDS-PP vai redirecionar a campanha para o contacto direto com  a população, tendo por base quatro equipas a correr a ilha de lés a lés, adiantou ao Funchal Notícias o diretor de campanha, Mário Pereira.

A opção do partido que não descarta uma coligação pós-eleitoral com o PSD, caso este obtenha maioria relativa, vira a página da defesa das propostas para a Madeira, que deixam agora de ser seu exclusivo, para defender a propriedade das mesmas junto dos eleitores.

Mário Pereira admite o que o partido venha a afixar mais uma dúzia de cartazes mas a estratégia é pôr os candidatos a desdobrarem-se em contactos diretos com o pequeno comércio, à saída dos centros de saúde e instituições públicas e outros pontos nevrálgicos de concentração de populares.

A estratégia do partido resulta do facto de os cidadãos já terem dado sinais claros de saturação de mensagens políticas no formato standard, pelo que vai ao terreno explicar e convencer, sem artistas para espetáculos e sem figuras nacionais que possam colar o partido às medidas de austeridade. Está sim previsto um jantar de mulheres, que não é gratuito, uma festa da juventude para o próximo mês e muita pedagogia. Por outro lado, os militantes que já estão no terreno a fazer estes contactos atestam que a recetividade dos eleitores tem sido positiva, razão pela qual vão intensificar este tipo de abordagem.

O Funchal Noticias apurou que o CDS-PP tem mantido contactos com uma empresa nacional, afeta ao partido, para delinear a ação de campanha, que aliás já reuniu com o partido na Região. Têm sido realizados levantamentos das tendências e preocupações dos madeirenses, por forma a orientar a linha de atuação do partido nesta campanha.