PSP deteve traficantes de droga, e ladrões dos carros no edifício 2000… e não só

A Polícia de Segurança Pública da Madeira comunicou a detenção em flagrante delito de um indivíduo do sexo masculino, natural e residente no Funchal, com 39 anos de idade, pelo crime de tráfico de estupefacientes.

A detenção ocorreu na sequência da realização de uma acção de patrulhamento e fiscalização na zona baixa da cidade do Funchal. Foram apreendidas ao indivíduo em questão aproximadamente 122 gramas de liamba, 2 doses individuais de heroína”, 2 doses individuais de uma haxixe e 1 dose de uma substância psicoactiva denominada por “Alpha PHP”, vulgarmente conhecida por Bloom.

Após ter sido constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência o cidadão em causa foi notificado para comparência no Tribunal Judicial da Comarca do Funchal. E faltou.

A PSP, por outro lado, informa ainda que identificou hoje 2 indivíduos do sexo masculino, com as idades de 27 e 32 anos, naturais e residentes no Funchal, pelo crime de furto no interior de viatura e furto de estabelecimento comercial.

As diligências policiais foram desenvolvidas pela Divisão Policial do Funchal após a ocorrência de diversos furtos no interior de viatura, perpetrados desde o passado dia 18 do corrente na zona do Hospital, Rochinha e no dia de ontem no Edifício 2000 – Funchal, totalizando cerca de 20 veículos.

O suspeito foi constituído arguido em processo crime. O inquérito segue agora os seus trâmites na Esquadra de Investigação Criminal da PSP.

A Polícia de Segurança Pública aconselha a todos os lesados a formalizarem a correspondente queixa-crime em qualquer subunidade do Comando Regional da PSP Madeira. Prosseguem as diligências no sentido de recuperar alguns dos itens furtados.

Na sequência do desenvolvimento de outras diligências policiais relacionadas com o furto de uma ourivesaria ocorrido na madrugada de hoje na Rua Fernão de Ornelas, foi possível identificar a sua autoria e proceder à recuperação de material furtado, os quais foram restituídos ao seu legítimo proprietário.

O suspeito foi também constituído arguido, sendo que o inquérito seguirá os seus trâmites na Esquadra de Investigação Criminal da PSP.