Passam hoje 49 anos da entrada do Marítimo nos nacionais 

Emanuel Freitas e Vasco Rodrigues representaram Marítimo e Nacional.
João Augusto
Passam hoje 49 anos da entrada do Marítimo na competição regular nacional de futebol, marcada com uma derrota em Leiria, no Nacional da II Divisão Zona Sul, sobre o minuto noventa.
A participação na “liguilha” de acesso à II Divisão Nacional, realizada no final da época 72/73, sob o comando técnico de Francisco Andrade ficou-se pelo terceiro lugar, com os mesmo pontos do segundo Tramagal e menos um do vencedor União de Montemor, tinham acesso a II Divisão os dois primeiros. Assim, o Marítimo foi colocado na III Divisão.
Mas o alargamento do Campeonato Nacional da II Divisão para 40 clubes em duas zonas norte e sul, decidido em 30 de agosto de 1973, possibilitou a repescagem do Marítimo para a II Divisão na Zona Sul.
Alberto Sachse, foi o técnico escolhido pelo Marítimo, chegado à Madeira em meados de agosto para dirigir a equipa na III Divisão, acabou por competir na II Divisão, com estreia no Municipal de Leiria em 16 de setembro, frente ao União de Leiria.
Vasco teve a honra de marcar o primeiro golo dos “verdes rubros” na competição regular nacional, abrindo o marcador aos 15 minutos, vantagem com que se atingiu o intervalo. Na segunda metade, Amândio deu a volta ao resultado com golos aos 47 e 77 minutos, Noémio a cinco minutos do final empatou, mas sobre o minuto 90, o mesmo Amândio fez o golo da vitória para a equipa da casa.
O onze para história do Marítimo na competição nacional regular foi constituído pelos seguintes elementos: Severino; Belarmino, Emanuel, Hilário, Isaque; Teixeira Aguiar, Tininho, Joel; Vasco, Orivaldo e Noémio.
A entrada na competição nacional não foi fácil, na jornada seguinte, nova derrota em casa por (0-6) frente ao Atlético. Com o decorrer da competição, acertou o passo terminado a temporada com tranquilidade classificativa no 5º lugar com 42 pontos. Três épocas depois, na segunda passagem de Pedro Gomes pelo comando técnico do Marítimo, em 15 de maio de 1977 atingiu a I Divisão depois de vencer o Olhanense na última jornada no Estádio dos Barreiros, naquela que foi a maior festa do futebol madeirense até aos dias de hoje.