Nova manifestação de protesto contra o custo de vida convocada para 22 de Abril

A denominada “Comissão Regional Contra o Aumento dos Preços”, promoveu durante a tarde de hoje a recolha de um abaixo-assinado contra o aumento do custo de vida, junto ao edifício “La Vie Shopping Center”, uma iniciativa que dá continuidade ao protesto contra os aumentos em curso e que surge na sequência do “buzinão” organizado pela Comissão no passado dia 31 de Março junto à Quinta Vigia.

Fernão Rodrigues, porta-voz da Comissão Regional Contra o Aumento dos Preços, defende que “é necessária outra intervenção dos governantes que protejam os mais desfavorecidos da nossa sociedade, os pensionistas e reformados, e tantos milhares de trabalhadores que todos os dias sentem dificuldades em chegar ao final do mês com as despesas pagas. Os salários são cada vez mais curtos para tantas despesas e são necessárias medidas para travar estes aumentos e o agravamento das condições de vida da população”, frisou.

A Comissão concentrou-se para mostrar o descontentamento contra o preço dos combustíveis, do gás, da electricidade e dos bens essenciais e dinamizar a recolha do abaixo-assinado contra o aumento do custo de vida.

Rodrigues afirma que “esta acção de protesto contra o aumento do custo de vida tem tido apoio da população, que sentem as dificuldades denunciadas e que mais acções destas são necessárias para que os governos, na Região e na República, tomem medidas que parem estes aumentos cada vez mais difíceis de suportar pelas famílias.”

O porta-voz da Comissão denuncia que “enquanto os preços e a inflação aumentam, o aumento nos salários “foi zero”. Por todo o País, assinala, estão a surgir movimentos de contestação a estes aumentos, “fazendo com que as pessoas sintam que os seus lamentos ecoem pelas ruas do nosso País, tal como fazemos na Região”.

“Dando continuidade a esta onda de protesto que se levanta na Região, apelamos a que todos se manifestem no próximo dia 22 de Abril numa “Manifestação de Protesto” contra os aumentos do custo de vida que terá lugar na Avenida do Mar”.

Apesar das tentativas de silenciamento no passado dia 31 de Março, as buzinas fizeram-se ouvir demonstrando que o povo está cansado de serem sempre os mesmos a pagar. “Não nos calam nem silenciam, neste que é o mês da Liberdade, era o que mais faltava silenciar a voz que Abril nos deu.”