PS-M promete combate ao PSD com Estados Gerais e nova abertura

Sérgio Gonçalves garantiu este sábado o objectivo firme do PS em “fazer acontecer a mudança governativa na Região Autónoma da Madeira nas eleições regionais de 2023”, refere uma nota dos socialistas.

“O PS está absolutamente motivado, mobilizado e focado nas eleições regionais”, afirmou o presidente dos socialistas madeirenses na primeira reunião da nova Comissão Regional do partido, aproveitando para apontar baterias ao Governo Regional, que, considerou, “tem um modelo esgotado e não tem ideias nem capacidade de implementar uma estratégia diferente para o desenvolvimento da Região”.

Sérgio Gonçalves opinou é preciso fazer com que a Madeira deixe de ser a região mais pobre e com o menor poder de compra do País.

O dirigente deu conta que ainda esta semana houve vários exemplos da falta de visão do Governo Regional, apontando o falhanço no cumprimento de metas para a transição energética, que provocou esta dependência superior a outras regiões do País relativamente a combustíveis fósseis e que agrava a situação das empresas, das famílias e de todos aqueles que vivem na Região. Para além disso, criticou a incapacidade do Executivo em implementar medidas de mitigação desta realidade.

Conforme acusou Sérgio Gonçalves, o Governo Regional não faz uso da Autonomia para reduzir os impostos, nomeadamente para aplicar o diferencial fiscal de 30% no IVA e no IRS, algo que o PS já vem defendendo há pelo menos três anos.

No caso particular do IVA, considerou que seria uma medida muito importante no imediato, para fazer face à subida do preço dos combustíveis, das matérias-primas e de todos os bens de primeira necessidade. No que se refere ao IRS, referiu que os madeirenses continuam a pagar mais do que os açorianos em cinco dos sete escalões.

Por outro lado, o líder socialista deu conta do objectivo de abrir o partido à sociedade civil, apontando a realização dos Estados Gerais, iniciativa que arrancará nas próximas semanas, bem como outros mecanismos e eventos para capacitar os militantes e simpatizantes para o combate político que se avizinha, como a ‘Academia PS’, cuja primeira edição aconteceu no passado fim de semana.

“O PS está absolutamente motivado, mobilizado e focado nas eleições regionais e em desenvolver proximidade com a sociedade civil e com as empresas, porque é muito importante nós fazermos um diagnóstico correto e apurado da realidade regional para podermos apresentar as melhores soluções para o futuro da Região e um programa de Governo que concretize essa mudança que muitos desejam há já muito tempo”, afirmou.

Na reunião de hoje foi ainda dada posse aos órgãos do partido, nomeadamente o Secretariado, a Comissão Política, os vice-presidentes e o secretário-geral, bem como foram votadas as moções setoriais levadas ao Congresso.

Na direção do partido, Sérgio Gonçalves tem como vice-presidentes Miguel Iglésias, Célia Pessegueiro e Avelino Conceição. Por seu turno, Gonçalo Aguiar é reconduzido como secretário-geral e Paulo Cafôfo assume a presidência da Comissão Regional.

A Comissão Política tem como membros efectivos:

 

António Quintal

Helena Freitas

Leonardo Santos

António Alves

Lília Caldeira

Carlos Gonçalves

Carlos Pereira

Ângela Silva

Carlos Coelho

Irene Catanho Viveiros

Guido Gomes

Hugo Alexandre Marques

Isabel Garcês

Jaime Leandro

Olga Fernandes

Miguel Brito

Sofia Canha

Paulo Bruno Ferreira

Sofia Rudi Mendonça

Pedro Diniz

 

 

O Secretariado do Partido é composto por:

 

Luísa Paolinelli

Duarte Caldeira

Elisa Seixas

Gonçalo Jardim

Marina Barbosa

Jacinto Serrão

Mónica Vieira

Ricardo Freitas

Nádia Melim

Sérgio Abreu

Victor Freitas