PPM-Madeira insurge-se contra a TAP e quer reunir com Miguel Albuquerque

O PPM-Madeira emitiu um comunicado, assinado pelo coordenador Paulo Brito, referindo: “Aquando da apresentação da candidatura como cabeça de lista pelo Partido Popular Monárquico (PPM), defendi que iria na Assembleia da República defender os transportes aéreos e marítimos para a Região”.
“Sim, eu já estava a prever que esta anunciada reestruturação da TAP iria prejudicar uma vez mais as Regiões Autónomas da Madeira e Açores, até mesmo com o cancelamento com os voos directos para a ilha de Porto Santo, que cada vez fica mais isolada do mundo”, acrescenta.
“Perante esta situação, o PPM Madeira pede uma resposta rápida e eficaz aos Deputados que estão na Assembleia da República em representação da nossa Região Autónoma da Madeira e que obriguem a TAP a cumprir com o caderno de encargos para com as Regiões Autónomas, sendo esta a única transportadora detida em 51% pelo estado português e assim obrigada a assegurar os transportes aéreos para a RAM”, refere.
Paulo Brito diz que irá reunir com os parceiros da Região Autónoma dos Açores e definir uma estratégia para que a TAP, “uma vez mais, não “brinque” com as Regiões Autónomas”.
Entretanto o PPM Madeira defende um plano B, “que é de novo voltar a ter viagens marítimas de e para a Região, através de um armador e assim não ficarmos dependentes de uma transportadora aérea que até agora está a gozar com os madeirenses”.
Paulo Brito afirma ainda que vai pedir uma audiência de carácter urgente ao presidente do Governo Regional da Madeira, “para saber quais as medidas que irão ser tomadas perante este anúncio da TAP de estar a reduzir voos para a Madeira (…)”