PS-M apresenta voto de pesar pela morte do padre Vítor Feytor Pinto

foto agência Ecclesia

O grupo parlamentar do PS-M apresentou na Assembleia Legislativa da Madeira, um voto de pesar pela morte do padre Vítor Feytor Pinto, figura cujo nome, considera, ficará marcado na história da Igreja Católica portuguesa e associado à luta pela justiça social.

Na apresentação do voto, o deputado Miguel Brito enalteceu a vertente humanística de Vítor Feytor Pinto, atributo que o tornou reconhecido em todo o país pela sua dedicação à causa social.

Nascido em Coimbra em 1932, Vítor Feytor Pinto cedo manifestou o desejo de seguir a vida religiosa, tendo ingressado no seminário do Fundão e transitado para o da Guarda, onde permaneceu até aos 23 anos. Foi ordenado a 10 de julho de 1955.

Aos 32 anos, aceitou o convite para ir a Roma, para integrar o Movimento por um Mundo Melhor, organismo hoje persente em mais de 40 países. Em 1971, o Patriarca de Lisboa, D. António Ribeiro, chamou-o a assumir a Acção Católica. Mais tarde, após a revolução de 1974, criou a Pastoral Juvenil.

Foi também membro do Conselho Pontifício para os Profissionais da Saúde e do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida.

“Para o padre Feytor Pinto só fazia sentido ser católico como forma de intervir na realidade e torná-la melhor”, afirmou o parlamentar do PS, endereçando condolências à comunidade católica e à sua família e amigos.