PS-M quer que se realize um “Festival do Vime”

O PS-M defendeu a certificação do vime madeirense, de modo a valorizar e preservar a típica obra de vime, associando-a também à inovação, refere uma nota, que dá conta de uma proposta hoje apontada pelo presidente do partido, aquando de uma visita a uma oficina na Camacha.

Paulo Cafôfo evidenciou a necessidade de valorizar este produto e esta arte tão identitários e tão nossos, que têm uma importância cultural “excepcional” e que nos distinguem de outras partes do mundo.

“Aquilo que tem acontecido nos últimos anos é a falta de apoio para que a produção do vime seja uma realidade e, além do potencial cultural, tenha um potencial económico”, assegurou Cafôfo, constatando que têm vindo a ser importados vimes do estrangeiro. Por isso, acrescentou, “era fundamental que o vime madeirense tivesse uma certificação, para que as pessoas, quando comprassem objectos, soubessem que esse vime era madeirense e não de outra origem”.

Além da certificação, Paulo Cafôfo propõe que haja um “festival do vime”.

Por seu turno, a deputada Mafalda Gonçalves lamentou que esta arte “tenha vindo a ser abandonada pelo Governo Regional”, existindo hoje em dia  “pouquíssimos artesãos”.

A também candidata à presidência da Câmara Municipal de Santa Cruz criticou a “inércia do Executivo na preservação desta tradição”.