Leia aqui as conclusões do Conselho Regional do PSD-M hoje reunido na Ponta do Sol

O Conselho Regional do PSD/Madeira, reunido hoje, dia 15 de maio, no Pavilhão Gimnodesportivo da Ponta do Sol, procedeu à análise dos pontos em agenda e aprovou as seguintes conclusões:

  1. O Conselho Regional congratula-se e enaltece o extraordinário trabalho que continua a ser desenvolvido, pelo Governo Regional, no combate e contenção da pandemia COVID-19 e, bem assim, o esforço que tem vindo a ser assumido, exclusivamente pela Região, para garantir que o apoio às famílias e às empresas seja uma realidade. Um esforço a favor de todos os Madeirenses e Porto-Santenses que tem sido fundamental na proteção da saúde pública, mas, também, enquanto alavanca da recuperação económica que começa a dar bons sinais, nomeadamente pela via da procura turística.
  2. Neste contexto, o Conselho Regional sublinha e valoriza o rigor, a determinação e a competência que têm vindo a marcar o Plano Regional de Vacinação em curso – através do qual, até ao passado dia 9 de maio, já tinham sido administradas 104.185 vacinas contra a COVID-19 na Região – expressando o seu reconhecimento público a todos os profissionais de saúde envolvidos neste processo.
  3. Ainda a este nível – e atendendo ao progressivo aliviar das medidas restritivas de prevenção e contenção da pandemia, o Conselho Regional enfatiza a forma responsável como as normas emanadas pelas Autoridades de saúde têm sido cumpridas, por parte da população em geral e, em particular, dos empresários, apelando a que todas as medidas de proteção individual, que garantem a saúde coletiva, se mantenham até que venha a ser atingida, na Região e através da vacinação, a imunidade de Grupo.
  1. Ainda neste âmbito e louvando o esforço, a colaboração e a articulação que tanto os empresários quanto os parceiros de negócio têm vindo a demonstrar em prol da progressiva retoma do turismo na Região, o Conselho Regional crítica e lamenta que a TAP, mais uma vez, tenha optado por não ajudar a Madeira, recusando-se a entrar na operação charter que conta com vários operadores e que representa um passo importante para a atividade, nesta fase.
  2. Sublinhando, por outro lado, a disponibilidade, o sentido de missão e o compromisso assumido pelos 11 candidatos às eleições autárquicas, o Conselho Regional reafirma, nesta ocasião, estarem reunidas todas as condições para que o PSD/M saia vitorioso do próximo ato eleitoral.
  3. Conselho Regional que acredita na vitória e que reafirma, desta forma, a sua confiança nos projetos de futuro que Pedro Coelho, Carlos Teles, João Paulo Luís, José António Garcês, Brício Araújo, Norberto Ribeiro, Nuno Batista, Marco Gonçalves, Gualberto Fernandes e Pedro Calado – a par de Ricardo Nascimento, cujo Movimento é apoiado pelo PSD/M – irão apresentar ao eleitorado, considerando que os mesmos representam a única alternativa válida para garantir a qualidade de vida, a segurança e o desenvolvimento que as populações ambicionam e legitimamente merecem, especialmente nos concelhos hoje governados pela oposição.
  1. Vitória essa que exige, mais do que nunca, o trabalho, a união e a mobilização de todos os Militantes do Partido em torno desse objetivo comum, motivados para uma campanha que será atípica, mas, certamente, compensadora para todos e, acima de tudo, para o futuro desta Região.
  2. A rematar, o Conselho Regional reitera que, pese embora a indiferença e a falta de resposta que o Governo da República teima em manter, o PSD/M não desistirá de nenhuma das suas reivindicações e continuará a pressionar o Estado para que as ajudas da Europa não se fiquem pelo território continental.
  3. Contra a propaganda gasta e vazia de uma oposição sem rumo que, diariamente, dá provas da sua incapacidade e incompetência, o PSD/M compromete-se a continuar a trabalhar em prol de todos os Madeirenses e Porto-Santenses e, nesta fase crucial, a favor da recuperação social e económica que se impõe, reafirmando a sua total disponibilidade para continuar a lutar e a esgotar todas as soluções, seja junto do Governo da República ou nas instâncias europeias, no sentido de garantir, sempre e em primeiro lugar, a defesa dos Madeirenses.