Presidente do SJ da Madeira critica rádios sem nenhum jornalista

O presidente da delegação regional do Sindicato dos Jornalistas lamentou, hoje, no parlamento madeirense, a diminuição do número de jornalistas na Madeira. “É uma classe que está a ficar bastante reduzida”, salientou António Macedo Ferreira na audição perante dos deputados da Comissão especializada Permanente de Política Geral e Juventude, refere uma nota do parlamento.

O jornalista alertou para a importância do jornalismo no sistema democrático. Disse ser “preciso zelar pela democracia e pelo funcionamento das Redacções”. “As Redacções estão cada vez mais fracas”, afirmou António Macedo Ferreira, lamentando que os jornalistas na Madeira não estejam na “linha da frente na defesa da sua profissão” e que haja rádios na Madeira “sem um único jornalista”.

O presidente da delegação do Sindicato dos Jornalistas garantiu ser “bastante positivo” o Programa Regional de Apoios à Comunicação Social Privada – MEDIARAM, como forma de equilíbrio para a imprensa, mas lamentou que o mesmo não se estenda a outros meios de comunicação social, como a rádio. “A maior parte das estações privadas de rádio, está morta”, afirmou perante os deputados que quiseram ouvir a opinião do Sindicato dos Jornalistas sobre “Apoios à Comunicação Social Privada”, na sequência de um requerimento apresentado pelo PSD.

O Sindicato dos Jornalistas entende que os “dinheiros públicos devem ser investidos em recursos humanos ou em projectos editoriais, e nunca entregues às empresas sem nenhum tipo de controlo”.