Albuquerque fala ao coração de Marcelo: mais dinheiro para a Madeira, senhor Presidente!

Fotos GR.

A Quinta Vigia abriu hoje as portas para um almoço entre o Presidente da República e o Presidente do Governo Regional. Num domingo, dedicado ao Dia da Mãe, ambos os governantes prescindiram da agenda familiar para que Migue Albuquerque levasse a Marcelo Rebelo de Sousa a extensa lista de reivindicações da Madeira, desde a revisão da lei de finanças regionais a mais verbas para a Universidade da Madeira e às celebrações do 10 de junho, com realização na Madeira. Face a face, Albuquerque pede mais verbas para a Madeira e conta com o pressing do chefe de Estado.

À saída do repasto, testemunhado por outras individualidades, a conversa permaneceu animada, a ponto de ser veiculado para os media que se tratou de um rico e agradável almoço. Na ementa do encontro, foram abordados aspetos da celebrações do Dia de Portugal de Camões e das Comunidades, a 10 de junho. Os oceanos e a rentabilização da exploração do mar, o encontro com os vários agentes e empresas ligados aos oceanos, no dia 8, os protocolos por firmar e a necessidade de não discriminar as universidades da Madeira e dos Açores fizeram parte do cardápio. Não há universidades regionais mas nacionais e internacionais, lembrou Albuquerque a Marcelo. Há fome de verbas do Estado para o ensino superior crescer.

Naturalmente que o menu deste encontro foi dominado pelas carências económicas da Região, sob o ciclo da pandemia. A revisão da lei de finanças locais é mais do que urgente. O Governo da Madeira pede a Marcelo princípios de equidade e justiça, pois há sobrecustos que têm de estar consagrados na lei.

Descontraído e sempre com deis dedos de conversa e de afetos para os seus pares, Marcelo Rebelo de Sousa terá deixado palavras de confiança ao Governo Regional, ao mesmo tempo que distribuía sorrisos aos madeirenses. Logo, logo, se verá se as verbas da resiliência serão rapidamente despachadas para saciar a fome de uma Região sobrecarregada com dívidas.