Albuquerque insiste na Estrada das Ginjas e minimiza os “Verdes melancia”

Miguel Albuquerque comentou o recente parecer negativo da UNESCO por causa da Estrada das Ginjas, classificando de “melancia” quem o deu a conhecer, “aqueles Verdes do Partido Comunista” que “tiveram primeiro acesso à informação, antes do próprio Governo [Regional]”. Acusou, por outro lado, o eurodeputado do PEV que divulgou o parecer de referir uma mentira, que a estrada era inviável, “que não é nada daquilo que está no parecer”, afirmou. “A estrada”, insistiu, que já está aberta há 44 anos, “deve ser requalificada”.
O Governo Regional deverá enviar em breve “esclarecimentos à UNESCO” sobre as obras que pretende realizar, disse, em declarações prestadas à margem da cerimónia de assinatura de protocolo de cooperação entre o Governo Regional e o Estado-Maior General das Forças Armadas, no sentido da utilização dos drones adquiridos pelas FA, na Madeira. Na oportunidade, Albuquerque referiu considerar muito importante o acordo celebrado, porque “estes drones são já avançados”, e poderão prestar, em sua opinião, valiosos serviços à Região, na área da Protecção Civil. Exemplificou com a localização de pessoas acidentadas nas levadas, e com o modo como estes aparelhos permitem avaliar os problemas e as respostas com rapidez, podendo assim ser planeado mais eficazmente o socorro. Os drones poderão ainda auxiliar actividades de vigilância de incêndios, de apoio aos serviços geográficos, etc.
Por outro lado, Albuquerque vislumbra oportunidades de envolver a UMa e a ARDITI na utilização e pesquisa destas novas tecnologias, e aproveitou para realçar a dimensão que já atingem as empresa tecnológicas na Madeira.