JP-M sugere sistema misto presencial/online de educação para os próximos tempos

A JP-Juventude Popular da Madeira, estrutura autónoma de juventude do CDS-PP Madeira, sugeriu hoje, por email, ao secretário regional da Educação, Ciência e Tecnologia a implementação de um sistema misto presencial/online para os próximos tempos devido à evolução anunciada da pandemia de Covid-19 para a fase de mitigação.

Esta juventude partidária afirmar que “é crucial encontrar soluções que reduzam o risco de contágio e transmissão nas escolas e aumentar o sentimento de segurança dos alunos, encarregados de educação e professores” numa fase em que o número de casos de transmissão da doença está a aumentar.

“É nesse sentido que esta estrutura defende que nos próximos tempos seja permitido um sistema de educação misto de ensino presencial e ensino à distância (online) e que se dê liberdade aos encarregados de educação para escolher que modelo querem para os seus educandos”, refere um comunicado. Pedro Pereira, presidente da JP Madeira, afirma que “existem várias famílias onde existe a possibilidade e a vontade de que os alunos possam continuar a obter conhecimento através do ensino à distância dadas as condições actuais e essa liberdade permite não só aumentar o conforto e segurança desses país e alunos como, reduzindo o número de alunos a frequentar presencialmente as escolas, reduzir assim o risco de transmissão de doença”.

Na missiva enviada por esta estrutura, a JP Madeira defende que o ensino online pode e deve garantir a mesma qualidade de ensino que o ensino presencial dando como exemplo que este modelo é até usado por algumas das melhores universidades do mundo para ciclos de estudo conferentes a graus académicos. Apesar desta opinião, a estrutura de juventude assume que “é normal que na actual situação de ainda alguma adaptação, ainda não estejamos a aproveitar o total potencial deste tipo de ensino”, mas reforça que “esta é até uma oportunidade para melhorar as capacidades tecnológicas das nossas escolas e promover a possibilidade de a partir desta situação difícil promovermos a existência de ensino online que permite dar resposta a diversas situações existentes ao longo da vida de diversos estudantes que impossibilitam a presença física na escola durante determinado período de tempo.”

A JP Madeira reforça a importância que acredita que esta sua sugestão tem também com o argumento de que “com o aumento de casos positivos haverá cada vez mais alunos e professores em confinamento profilático e dessa forma é ainda mais importante garantir condições para que o processo educativo possa continuar a acontecer mesmo com estas limitações”.

Por fim, afirma o comunicado que deve ser conferida autonomia a todas as escolas para a implementação desta solução, garantindo assim que cada escola encontre a melhor forma de equilibrar os dois modelos para a sua realidade específica.