Câmara da Ribeira Brava toma medidas especiais para os cemitérios

A Câmara Municipal da Ribeira Brava refere que, no dia 1 de Novembro, por tradição, há uma grande afluência aos cemitérios municipais. Este ano, a data ocorre no domingo, sendo de esperar que, na véspera, também se verifique uma grande afluência de pessoas aos cemitérios, para limpeza e ornamentação de sepulturas e jazigos, refere a edilidade.

Ora, considerando que o conselho do Governo Regional decidiu renovar a declaração de calamidade em todo o território da Região, na sequência da presente situação epidemiológica da Covid-19 na Região, a Câmara Municipal da Ribeira Brava, torna público, para os dias 31 de Outubro, 1 e 2 de Novembro, as seguintes medidas:

– Período de funcionamento dos cemitérios: 08:00h -16:00h;

– A permanência no cemitério não deverá ultrapassar os 15 minutos seguidos, de forma a dar oportunidade a todos;

– É obrigatória a utilização da máscara no interior do cemitério e o distanciamento social recomendado;

– Os locais de espera à entrada também serão controladas e estarão organizadas de forma evitar filas;

– Serão retirados os baldes e vassouras de utilização colectiva e recomenda-se a inexistência de limpeza e manutenção de jazigos e taças e flores;

– Existirão dispensadores de solução antiséptica à base de álcool nas respectivas entradas dos cemitérios, de fácil acesso aos utilizadores e colaboradores.

Para os diferentes Cemitérios Municipais, as lotações serão as seguintes:

– Cemitério da Tabua – 30 pessoas de cada vez

– Cemitério da Ribeira Brava – 50 pessoas de cada vez

– Cemitério de Serra de Água -17 pessoas de cada vez

– Cemitério de Campanário – 37 pessoas de cada vez

– Cemitério de São Paulo – 17 pessoas de cada vez

Para o efeito, a edilidade contará com os profissionais camarários para acompanhar a ocupação dos vários cemitérios municipais, e tudo fará para evitar problemas ao longo do dia, promete.

“Apelamos aos munícipes e a todos que nos visitam o máximo de respeito dos cumprimentos das normas estabelecidas pelas entidades de Saúde Regionais e Nacionais, lembrando a responsabilidade individual”, refere a edilidade.